O cancro colorretal atinge em igual número homens e mulheres, especialmente a partir dos 50 anos. O diagnóstico precoce da doença é fundamental para garantir a cura.

Esta é uma doença oncológica do cólon e reto que, na maioria dos casos, se desenvolve a partir de lesões benignas no intestino grosso ou cólon, conhecidas como adenomas ou póliposadenomatosos e cuja evolução é geralmente silenciosa, uma vez que não apresenta sintomas.

A sua causa exata não é ainda conhecida, no entanto existem vários fatores de risco:

- História familiar de cancro colorretal
- Idade superior a 50 anos, homem ou mulher
- Antecedentes clínicos pessoais como cancro no intestino grosso e doenças inflamatórias no intestino
- Obesidade
- Dieta baixa em fibras e alta em gorduras
- Estilo de vida sedentário

Sintomas

A maioria dos sintomas associados à doença surgem muitas vezes, sem que haja a doença. No entanto, se sentir algum deles deve consultar o seu médico. Os mais comuns são:

- Alteração persistente dos hábitos intestinais, sem razão aparente
- Perda de sangue pelo reto/ânus ou misturado nas fezes sem irritação, dor ou prurido
- Sensação de que o intestino não esvazia completamente
- Dor forte ou desconforto abdominal, sem explicação aparente
- Cansaço e emagrecimento sem razão aparente

Diagnóstico

Os métodos de rastreio incluem pesquisa de sangue oculto nas fezes e colonoscopia ou sigmoidoscopia.


os métodos complementares de diagnóstico incluem clister opaco com
duplo contraste, tomografia axial computorizada (TAC) e ressonância
magnética.

Tratamento

 Estas são as formas de tratamento mais comuns:

- Cirurgia
É a forma mais frequente de tratamento e a única que por si pode ser curativa.

- Radioterapia
Pode ser utilizada antes da cirurgia, para
diminuir o tamanho do tumor e facilitar a sua remoção, ou após a mesma
para eliminar as células remanescentes.

- Quimioterapia
Geralmente utilizada como complemento da cirurgia curativa quando a doença está num estado mais avançado (metastizado).

- Anticorpos monoclonais
Substâncias
produzidas em laboratório capazes de eliminar as células cancerígenas
e/ou de recrutar o sistema imunitário do organismo para atingir o alvo.

Prevenção

Se tem mais de 50 anos peça ao seu médico assistente que lhe
prescreva o rastreio do cancro do intestino. A adoção de certos hábitos
de estilo de vida podem ajudar a prevenir a doença. Estes são os comportamentos que deve passar a incluir no seu dia a dia:

- Faça uma dieta rica em fibra, fruta fresca e vegetais
- Evite o consumo excessivo de gordura animal
- Aumente a ingestão de Iíquidos, sobretudo de água
- Faça exercício regularmente e evite o excesso de peso
- Consulte o seu médico caso tenha familiares atingidos pela doença

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.