Gonçalo está impaciente. A ida ao Oceanário estava a ser planeada há dias e o pequeno de cinco anos não esconde o entusiasmo. A avó Fernanda pede-lhe calma, enquanto orienta o jantar para o regresso e prepara o saco com o lanche para mais tarde. “Já puseste protector solar?”, interroga. “Sim, anda, vamos ver os tubarões”, responde frenético.

Gonçalo e Fernanda personificam bem a relação neto-avó do século XXI. Companheira de brincadeiras, a ex-professora não hesita em sujar as mãos nas tardes que dedica aos netos, Gonçalo e Pedro, este apenas de um ano. A manta e as pantufas não entram neste quadro familiar, no qual as idas ao parque infantil e a museus, os passeios e os piqueniques fazem parte das rotinas, de quem não abdica de acompanhar o crescimento dos benjamins. “Com os netos é tudo mais fácil e há outra descontracção”, diz, enquanto disserta sobre espécies. “Mas não é só brincadeira, até porque as crianças de hoje exigem mais de nós e são muito curiosas, o que é bom para nos mantermos mental e fisicamente activos”, explica. Gonçalo interrompe. “O meu favorito é o tubarão-martelo”, afirma, sob o olhar cúmplice da avó. “Para a semana podíamos ir ao Jardim Zoológico”, sugere ainda. “Não. Para a semana vamos para a casa de férias”, responde a avó. “Boa!”

Mais velhos e saudáveis

O envelhecimento da população é uma realidade incontornável. Segundo um estudo recente da revista científica Nature, a proporção de pessoas com mais de 60 anos vai triplicar durante este século, passando de 10%, em 2000, para 32%, em 2100. No entanto, a realidade pode ser mais animadora do que a frieza dos números. Os investigadores do Instituto Demográfico de Viena e da Universidade do Estado de Nova Iorque, responsáveis pelo estudo, garantem que metade dos seniores estará, contudo, de boa saúde, já que cada vez se vive mais e melhor, devido ao facto de as despesas com a saúde atingirem níveis mais elevados nos últimos anos de vida.

É neste contexto que surge o tempo dos avós e bisavós, com plenas capacidades e saúde para terem uma vida activa e poderem ser úteis à família. Vários estudos sugerem que três quartos da população chegarão à condição de avô. “Estima-se que algumas pessoas possam ser avós por mais de metade das suas vidas”, lembrou Sarah Harper, investigadora da Universidade de Oxford, no primeiro Congresso dos Avós, que decorreu em Lisboa, na Universidade Católica Portuguesa (UCP), em 2004.

A antropóloga e especialista em gerontologia, que se tem debruçado sobre o assunto, sublinhou mesmo “uma tendência muito interessante” que mostra que se assiste hoje a um reforço dos laços entre os mais velhos e os mais novos do agregado”. Sarah Harper defende mesmo que há “provas consideráveis”, entre as espécies não humanas, “de que membros mais idosos da população, em particular dos avós, desempenham um papel importante no êxito da sociedade”.

Reflexo dos tempos

Para a professora do primeiro ciclo, Felicidade Costa, a escola é o primeiro reflexo da presença cada vez maior dos avós na vida dos netos. “Hoje em dia, devido aos empregos, às exigências das escolas e outras actividades, acontecem casos em que os avós substituem mesmo os pais e assumem até o papel de encarregado de educação”, afirma. A docente acredita que este encontro de gerações não podia ser mais benéfico para ambas as partes. “É extremamente saudável para avós e para netos”, revela, sustentando que “a aprendizagem é mútua”. E exemplifica: “Os avós têm mais tempo e conversam muito com as crianças.”

Mas há mais: “Pela idade, têm uma escola de vida profunda e partilham ensinamentos que, de outra forma, não poderiam ser transmitidos.” De entre o rol de actividades possíveis, Felicidade Costa deixa alguns exemplos que podem ser úteis, se ainda não tem programa para dia 26 de Julho. Há as mais lúdicas: “A avó a fazer roupas para as bonecas com a neta ou o avô a jogar à bola ou Playstation com o neto”, e também as mais educativas, como “ajudar a aprender a tabuada ou a fazer as contas de dividir”.

Como em tudo, “não há bela sem senão” e há um reverso na relação entre avós e netos. “Tendencialmente, os avós são mais permissivos do que os pais e esquecem-se de impor regras”, aponta a professora. A avó Fernanda assume o mea culpa. “O meu neto mais velho já me disse que só eu é que o deixo comer rebuçados”, afirma. Ainda assim, rejeita a anarquia. “Não comem gelados quando querem, nem vão ao parque à hora que pedem, mas um miminho nunca fez mal a ninguém”, conclui.

A razão dos avós

Qual o papel dos avós: transmissores de afectos sem regras ou, pelo contrário, a garantia da continuidade da família? Como se pode educar nos tempos de hoje, em que alguns reclamam mais autoridade e outros parecem recear a palavra? Estas são algumas das questões discutidas em A Razão dos Avós, de Daniel Sampaio.

O autor vai às suas próprias raízes para falar do papel dos avós no quotidiano familiar e chegar à conclusão de que a razão está do lado dos avós, porque, como historiadores da família, garantem a autonomia e a diferenciação dos mais novos. Respostas para muitas inquietações.

Dia dos Avós - De Norte a Sul

Assinala-se a 26 de Julho o Dia dos Avós. A comemoração tem lugar no dia de Santa Ana e São Joaquim, pais de Maria e avós de Jesus Cristo, padroeiros dos avós. O Jornal do Centro de Saúde deixa-lhe algumas dicas de actividades saudáveis para passar um dia em pleno com os seus netos e provar, a quem ainda possa ter dúvidas, que “velhos são mesmo os trapos”.

Lisboa
O Zoo de Lisboa não deixa passar a data em branco e promete surpresas para avós e netos. A avó mais famosa do espaço, a macaca Joca, marcará presença com os seus netos. As novas crias de chimpanzés, bongos, coalas e tigres da Sumatra são algumas das novidades.
Mais informações: www.zoo.pt

O Museu da Marioneta antecipa o Dia dos Avós para domingo, dia 25, e convida avós e netos a participar numa animada oficina sobre marionetas tradicionais portuguesas! Numa breve visita ao museu, recorda-se o passado do D. Roberto, para inspirar a criação de uma marioneta.
Horário: Manhã – das 10h30 às 12h30
Público: 1 adulto + 1 criança com mais de 6 anos
Duração: 2 horas
É necessária marcação prévia
Mais informações: www.museudamarioneta.egeac.pt

Santa Maria da Feira
O Museu de Santa Maria de Lamas convida todos os avós a visitar gratuitamente este espaço museológico do concelho de Santa Maria da Feira. No final da visita, cada avó receberá um pequeno presente.
Horário: segunda a sexta-feira – 10h00 às 12h00 ou 14h30 às 16h30.
Mais informações: http://www.museudelamas.pt 

Melgaço
No Monte Prado Hotel & Spa, em Melgaço, este é o mês do relaxamento puro. A unidade hoteleira oferece “uma proposta tentadora para avós e netos”, prometendo “mil e uma aventuras em pleno cenário natura”. Caminhadas e piqueniques, banhos de sol, rafting, kart cross ou mimos no River Spa são algumas sugestões.
Mais informações: http://www.hotelmonteprado.pt/

Mangualde
A Câmara Municipal vai assinalar o Dia dos Avós com a iniciativa “Arraial Sénior”, no dia 26 de Julho, na Mata dos Condes de Anadia. O evento terá início pelas 10h30, com a celebração de uma Missa Solene, e prolongar-se-á por todo o dia, com troca de merendas e uma tarde de muita animação. As inscrições são gratuitas e deverão ser efectuadas através do Gabinete de Acção Social da Autarquia até ao dia 16 de Julho.

Viana do Alentejo
No âmbito do Projecto “Oficina doa Avós”, está patente ao público, de 29 de Junho a 31 de Julho, nas Piscinas Municipais de Viana do Alentejo, uma exposição intitulada Nós e os Avós.

Texto: Sandra Cardoso

A responsabilidade editorial e científica desta informação é do jornal

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.