"Desde finais de dezembro que praticamente não temos tido casos de paludismo e neste momento podemos dizer que a situação está controlada", garantiu o ministro, após ser questionado pela agência Lusa, na cidade da Praia, à margem de um encontro para apresentar planos sanitários regionais e assinar um protocolo com a Organização Mundial da Saúde (OMS).

Estes são os 12 vírus mais letais do mundo
Estes são os 12 vírus mais letais do mundo
Ver artigo

No ano passado, Cabo Verde registou 447 casos de paludismo (malária), o maior número em quase 30 anos, e a maior parte na cidade da Praia, onde a doença foi declarada como uma epidemia pelas autoridades de saúde.

O pior mês de 2017 foi setembro, com 132 casos registados, numa média semanal a atingir os 26, entre contraídos localmente e importados. O ministro da Saúde destacou o "esforço" dos profissionais de saúde e a "grande parceria" com a OMS.

"Este trabalho, que foi importante, deve ser continuado, não estamos a baixar [a guarda]", referiu Arlindo do Rosário, que sublinhou o trabalho feito também pela Câmara Municipal da Praia e pelo Ministério do Ambiente.

Eliminação do paludismo em 2020

"Se conseguirmos trabalhar a montante, reduzindo os riscos que advêm de questões de saneamento, continuar a trabalhar com a população e mostrar que é um trabalho que não pode em nenhum momento diminuir, estou convencido que vamos cumprir com a nossa meta, que é a eliminação do paludismo em 2020", estimou o ministro.

Cabo Verde foi distinguido no ano passado pela Aliança de Líderes Africanos contra a Malária (ALMA) com o prémio Excelência, pelos resultados alcançados no combate à malária.

É o único país africano em fase de pré-eliminação e quer eliminar os casos autóctones da doença até 2020.

Para isso, o ministro da Saúde voltou a apelar a colaboração e envolvimento de todas as entidades, sobretudo no trabalho da prevenção, desde Câmaras Municipais, ONG, empresas e de toda a população cabo-verdiana.

O paludismo, também conhecido por malária, é uma doença provocada por um parasita do género Plasmodium, que é transmitido aos seres humanos através da picada de uma fêmea do mosquito Anopheles.

Ainda não existe qualquer vacina para a doença, embora recentemente a OMS tenha aprovado a realização de estudos piloto da candidata mais avançada.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.