Emanuel Boieiro, do SE, disse à agência Lusa que “todos os hospitais que marquem falta injustificada aos enfermeiros que não compareçam ao serviço por estarem a cumprir os cinco dias de greve hoje iniciados vão ter os serviços jurídicos do sindicato à perna”.

Junto a centenas de enfermeiros que hoje protestam frente ao Hospital de Santa Maria, Emanuel Boieiro disse que este será o primeiro hospital a ser visado pelos serviços jurídicos do SE, uma vez que, segundo disse, "está a marcar faltas injustificadas aos profissionais em greve”.

A orientação da tutela foi no sentido das instituições marcarem falta aos profissionais que não trabalhem nestes dias, alegando que a greve foi marcada de forma irregular.

Questionado sobre esta irregularidade, Emanuel Boieiro disse não querer saber: “Não interessa o que alegam. Informámos através da comunicação social que esta greve se ia realizar”.

Os enfermeiros iniciaram hoje uma greve de cinco dias contra a recusa do Ministério da Saúde em aceitar a proposta de atualização gradual dos salários e de integração da categoria de especialista na carreira. Alguns enfermeiros preferiram ir trabalhar, por medo de represálias.

No Porto, vários enfermeiros também se reuniram em protesto junto ao Hospital de São João.

Veja ainda: As fotos dos enfermeiros em protesto de norte a sul

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.