“Temos um impacto de 50 a 60%. Temos a parte da consulta externa que fechou na totalidade, farmácia também e o raio-x”, revelou Carlos Moniz, em declarações aos jornalistas para fazer um ponto de situação da greve.

Segundo o dirigente do Sindicato dos Trabalhadores da Administração Pública (SINTAP), o Hospital João de Almada regista uma adesão à greve de cerca de 70% e o Hospital dos Marmeleiros “também está nos mínimos".

Carlos Moniz indicou ainda que o centro de saúde da Nazaré, no Funchal, está encerrado, enquanto as unidades de Câmara de Lobos e da Camacha (Santa Cruz) registaram uma adesão à greve na ordem dos 60%.

“Queremos que o Governo [Regional] pare, já que tem maioria absoluta, oiça os colegas sindicais, que se sente e que chegue a um acordo. Nós queremos um aumento. Face à inflação, nós temos um aumento mínimo”, salientou.

“Atualmente, somos considerados os pobres da saúde. Assistentes técnicos e assistentes operacionais são os pobres. Temos ordenados miseráveis de 700 e tal euros”, acrescentou o dirigente sindical, pedindo um aumento de 50 euros por profissional.

A greve de hoje abrange todos os trabalhadores do setor da saúde pertencentes às carreiras de regime geral, à carreira de técnico superior de diagnóstico e terapêutica, à carreira de técnico superior de saúde e à carreira de técnico superior de farmácia, que exercem funções nos hospitais organizados sob o modelo de entidade pública empresarial e demais serviços na dependência e/ou tutela do Ministério da Saúde e do Governo Regional da Madeira.

Em causa está a "falta de respostas que contribui para que os trabalhadores do setor da saúde se sintam motivados e valorizados, em conjunto com a falta de pessoal, que é cada vez mais evidente e está a provocar grandes transtornos no funcionamento dos serviços".

“A saúde não são só os médicos e os enfermeiros. Há um grande grupo logístico, que sem esse grupo os médicos e os enfermeiros não funcionam. Nós queremos que os assistentes técnicos sejam assistentes técnicos da saúde, que os assistentes operacionais sejam assistentes operacionais da saúde”, vincou Carlos Moniz.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.