"Quando a homossexualidade se manifesta na infância, a psiquiatria pode desempenhar um papel importante para ajudar a perceber como as coisas são. Mas é outra coisa quando ocorre depois dos vinte anos", respondeu o papa a um jornalista, a bordo do avião que o transportava da Irlanda para Roma.

Questionado sobre o que diria aos pais com filhos homossexuais, o representante máximo da Igreja Católica afirmou que lhes pediria "que rezem, que dialoguem e que entendam, mas que não condenem".

Por fim, defendeu que o "silêncio nunca será uma cura" porque, sublinhou, "ignorar um filho ou uma filha com tendências homossexuais revela falta de paternidade ou maternidade", disse.

Com agências

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.