Segundo a agência espanhola EFE, a decisão do executivo dos Países Baixos entra em vigor na sexta-feira.

A par de Portugal, Espanha, incluindo as ilhas espanholas das Canárias e Baleares, e Chipre passam igualmente a estar “pintados” a cor de laranja, o que significa que são destinos desaconselhados para viagens não essenciais.

“Infelizmente, o conselho do Instituto de Saúde Pública (RIVM) desta semana mostrou que não é um pico temporário: há uma tendência preocupante nos números de infeções nestas regiões”, indicou o Ministério dos Negócios Estrangeiros holandês.

Todos os cidadãos holandeses que se deslocarem para estes destinos necessitam de ter um certificado de vacinação completa há, pelo menos, 14 dias, ou de recuperação da doença covid-19.

Caso contrário, e para pessoas não vacinadas, é necessário ter um teste negativo à covid-19 — um teste PCR (teste molecular) realizado num período máximo de 72 horas ou um teste rápido de antigénio realizado num período máximo de 48 horas — antes de regressar ao território holandês.

As pessoas que já se encontram nestes destinos devem apresentar os comprovativos quando regressarem aos Países Baixos a partir do próximo domingo, segundo o Ministério dos Negócios Estrangeiros holandês, que esclarece que os viajantes não serão submetidos a um período de quarentena no regresso a casa.

A diplomacia holandesa reconhece o “grande impacto” que esta decisão tem junto dos viajantes, argumentando, no entanto, que viajar para o estrangeiro “é e continua a ser um risco” na pandemia.

Na passada segunda-feira, o primeiro-ministro holandês, Mark Rutte, admitiu que o Governo cometeu um “erro de julgamento” ao relaxar algumas restrições e pediu desculpa, numa altura em que os Países Baixos sofrem um aumento significativo de casos de covid-19.

O Governo tinha autorizado há duas semanas a reabertura de discotecas, mas devido à rápida disseminação da variante Delta do SARS-Cov-2 (caracterizada como mais resistente e mais transmissível), especialmente entre os jovens, decidiu recuar.

Segundo a imprensa internacional, os novos casos nos Países Baixos aumentaram 500% após o levantamento de restrições.

A pandemia de covid-19 provocou, até à data, mais de quatro milhões de mortos em todo o mundo, entre mais de 188 milhões de casos de infeção pelo novo coronavírus, segundo a agência France-Presse (AFP).

A doença respiratória é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019 em Wuhan, cidade do centro da China, e atualmente com variantes identificadas em países como o Reino Unido, Índia, África do Sul, Brasil e Peru.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.