O grupo farmacêutico anglo-sueco afirma que "não há evidências de um risco aumentado" de coágulo sanguíneo causado pela sua vacina, enquanto a Organização Mundial da Saúde (OMS) acredita que não há "razão para não usar a vacina".

- Suspensão após coágulos sanguíneos -

A Dinamarca foi o primeiro país a suspender o uso da vacina AstraZeneca a 11 de março "após relatos de casos graves de coágulos sanguíneos" em pessoas vacinadas.

A Noruega fez o mesmo no mesmo dia. O país informou esta segunda-feira a morte de uma cuidadora com menos de 50 anos que morreu de hemorragia cerebral. Foi hospitalizada na quinta-feira, cerca de uma semana após receber a vacina AstraZeneca, mas não foi possível estabelecer uma relação causal nesta fase.

Outra cuidadora na casa dos trinta anos já tinha morrido na Noruega na sexta-feira, dez dias depois de receber a mesma vacina. A Islândia tomou a mesma decisão.

- No embalo dos países nórdicos -

A Bulgária anunciou a 12 de março a suspensão "por precaução" das vacinas, um dia após as decisões tomadas pelos três países nórdicos, enquanto uma investigação está em curso naquele país após a morte de uma mulher vacinada.

No entanto, de acordo com o ministro da Saúde, "não foi estabelecida nenhuma ligação" nesta fase com a vacinação ocorrida na véspera desta mulher, que apresentava excesso de peso e tinha passado por várias operações de revascularização do miocárdio.

No domingo, Irlanda e Holanda também suspenderam o uso da vacina, mais uma vez por precaução, após casos de coágulos sanguíneos registados na Dinamarca e Noruega. Já a Alemanha, França e Itália decidiram nesta segunda-feira suspender o uso da vacina, como medida preventiva.

Esta decisão de suspensão vem "após novas informações sobre tromboses de veias cerebrais em conexão com a vacinação na Alemanha e na Europa", disse um porta-voz do ministério da Saúde alemão.

"Por precaução", Paris e Roma tomaram a mesma medida, enquanto aguardam o parecer da Autoridade Europeia de Medicamentos (EMA), previsto para terça-feira.

- Campanha de vacinação atrasada -

A Tailândia e a República Democrática do Congo (RDC) atrasaram o início das suas campanhas de vacinação com essa vacina, que estavam programadas para sexta e segunda-feira, respetivamente.

A Indonésia também decidiu nesta segunda-feira adiar o lançamento da sua campanha de vacinação com a AstraZeneca por precaução.

- Suspensões de lotes -

A Áustria anunciou em 8 de março a suspensão do uso de um lote da vacina AstraZeneca (ABV5300) depois de uma enfermeira de 49 anos morrer de "graves problemas de coagulação do sangue", poucos dias após ser vacinada.

Quatro outros países europeus - Estónia, Letónia, Lituânia e Luxemburgo - também suspenderam o uso das vacinas deste lote de um milhão de doses, que foi enviado para 17 países europeus.

Itália proibiu na quinta-feira, como precaução, o uso de outro lote, o ABV2856, por causa de temores relacionados à formação de coágulos sanguíneos. A Roménia também suspendeu este lote.

A região italiana do Piemonte (noroeste da Itália) suspendeu a vacina da AstraZeneca no domingo após a morte de um professor, em seguida retomou as injeções, porém excluindo por precaução o lote ABV5811.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.