Hugo Martins comentava, desta forma, à agência Lusa, a decisão anunciada no sábado pela Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo (ARSLVT), de que o Estado decidiu não renovar a atual parceria público-privada (PPP) do Hospital Beatriz Ângelo, em Loures, que é gerido pelo grupo Luz Saúde.

Esta unidade hospitalar foi inaugurada em 2012 e serve 272 mil habitantes dos concelhos de Loures, Odivelas, Mafra e Sobral de Monte Agraço.

“Aquilo que o município de Odivelas ambiciona é que o próximo modelo de gestão, seja ele público ou privado, possa reforçar e robustecer a qualidade dos serviços prestados pelo hospital”, sublinhou.

O autarca socialista referiu que, após o anúncio da ARSLVT, teve uma conversa telefónica com a ministra da Saúde, Marta Temido, que o tranquilizou relativamente à gestão futura do hospital.

“Aquilo que eu posso dizer é que estamos a acompanhar com muita atenção este processo. A senhora ministra assegurou-nos de que a decisão que vier a ser tomada será sempre no sentido de melhorar os serviços de saúde prestados à população”, atestou.

O Hospital Beatriz Ângelo é gerido em PPP desde a sua abertura, há oito anos.

O atual contrato com a Luz Saúde termina em 18 de janeiro de 2022 e o Ministério da Saúde tinha de informar a entidade gestora do que pretende fazer em relação à PPP até dois anos antes.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.