No ano passado, uma equipa de investigadores das Faculdades de Medicina (FMUP) e Engenharia (FEUP) da Universidade do Porto, em colaboração com o Centro Hospitalar de Entre o Douro e Vouga, criou e apresentou o protótipo de uma máscara protetora destinada a doentes que sofrem de disfagia, uma condição incapacitante que provoca dificuldades nos momentos da deglutição. Um ano depois, a inovação dos cientistas portugueses está pronta para entrar no mercado, pela mão da Simoldes – uma empresa multinacional portuguesa que produz componentes de plástico para a área automóvel.

A nova máscara tem como intuito servir como equipamento de proteção individual em diferentes situações, nomeadamente nos casos de doentes que apresentam disfagia ou alterações da motricidade oral após a ocorrência de um acidente vascular cerebral, entre outras patologias. Desta forma, “é um equipamento particularmente útil para hospitais e lares, sobretudo nos casos de população idosa que esteja institucionalizada ou internada e que, durante o período das refeições, possa ingerir os seus alimentos tendo a máscara colocada”, explica José Manuel Amarante, investigador do Laboratório de Biomecânica do Porto (LABIOMEP), professor da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto (FMUP) e um dos criadores desta solução.

A máscara, desenhada para dar solução a esses casos encontra-se “dividida em dois componentes, um superior fixo na testa e um inferior amovível que permite o acesso à cavidade oral do paciente sem remover a máscara. Possui ainda a possibilidade de ser ligada a um sistema de aspiração”, explica outro dos inventores – Joaquim Gabriel Mendes, investigador do INEGI e professor da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto (FEUP).

De acordo com Rui Paulo Rodrigues, CEO da Simoldes, a empresa juntou uma equipa de cinco engenheiros, do seu gabinete de Inovação, para desenvolverem o protótipo inicialmente elaborado, aprimorando o seu design e funcionalidade. Sendo um dos líderes na produção e fornecimento de componentes plásticos para a indústria automóvel, a Simoldes dedicou-se a este projeto na área da Saúde sobretudo numa lógica de responsabilidade social. “A colaboração entre a academia e a indústria é fundamental para permitir que as novas ideias cheguem ao mercado e possam ser úteis à sociedade. Este é um bom exemplo do que é possível fazer para apoiar os profissionais de saúde, fortemente sacrificados durante este período de pandemia”, explica o empresário.

Miguel Pais Clemente, professor da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto, refere que “há um conjunto de docentes/investigadores e parceiros (Simoldes) envolvidos que realmente não baixaram os braços e quiseram estudar a problemática associada ao COVID-19 em termos de equipamento de proteção individual, tendo trabalhado no sentido de apresentarem uma solução que foi alvo de uma patente.”

Apesar desta invenção ter resultado do “engenho” que foi “aguçado” para contornar os constrangimentos criados pela pandemia por Covid-19, o surgimento, em 2022, de novas variantes de Covid, os recentes surtos de gripe A e o surgimento tardio da gripe sazonal colocam em evidência a necessidade de dispor de equipamentos que confiram proteção contra doenças infecciosas respiratórias, tanto aos doentes como aos profissionais de saúde e cuidadores. “E se olharmos um pouco para trás e tivermos em conta que, em 2002, tivemos o SARS-CoV-1, em 2012, o MERS-CoV e, em 2019, o SARS-CoV- 2, percebemos que estamos a dar resposta a um problema que nos vai acompanhar no futuro”, conclui Catarina Aguiar Branco, fisiatra do Centro Hospitalar Entre Douro e Vouga e docente da Faculdade de Medicina Dentária da U.Porto (FMDUP), que integrou a equipa de investigadores desde o início, participando nos testes, monitorização e validação deste dispositivo.

Sendo esta máscara um produto com caraterísticas únicas, foi feito um pedido de proteção de propriedade intelectual ao INPI, através do gabinete de transferência de conhecimento U.Porto Inovação.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.