A maioria dos casos de coronavírus (Covid-19) são considerados ligeiros e apenas 13% são severos, por provocarem pneumonias, segundo um estudo das autoridades de saúde chinesas que analisou mais de 44.000 casos de infeção.

O estudo, elaborado pelo Centro Chinês de Controlo e Prevenção de Doenças citado pela BBC, diz que 80% dos casos são ligeiros, que apenas 4,7% são considerados críticos e que as pessoas idosas ou com problemas de saúde prévios à infeção são as que correm mais riscos.

Recomendações da DGS

A DGS acompanha a situação da expansão do novo coronavírus e recomenda:

  • Em Portugal, caso apresente sintomas de doença respiratória e tenha viajado de uma área afetada pelo novo coronavírus, as autoridades aconselham a que contacte a Saúde 24 (808 24 24 24). Caso se dirija a uma unidade de saúde deve informar de imediato o segurança ou o administrativo.
  • Evitar o contacto próximo com pessoas que sofram de infeções respiratórias agudas; evitar o contacto próximo com quem tem febre ou tosse;
  • Lavar frequentemente as mãos, especialmente após contacto direto com pessoas doentes, com detergente, sabão ou soluções à base de álcool;
  • Lavar as mãos sempre que se assoar, espirrar ou tossir;
  • Evitar o contacto direito com animais vivos em mercados de áreas afetadas por surtos;
  • Adotar medidas de etiqueta respiratória: tapar o nariz e boca quando espirrar ou tossir (com lenço de papel ou com o braço, nunca com as mãos; deitar o lenço de papel no lixo);
  • Evitar o consumo de produtos de animais crus, sobretudo carne e ovos;
  • Seguir as recomendações das autoridades de saúde do país onde se encontra.

A taxa de mortalidade sobe com a faixa etária, até aos 69 anos o valor é baixo e, no que se refere às vítimas fatais, as pessoas com mais de 80 anos são as mais suscetíveis, indica a investigação.

O relatório mostra que a taxa de mortalidade da província de Hubei, onde se situa a cidade de Wuhan, epicentro do novo coronavírus, é de 2,9% e que no resto do país este valor é de 0,4%.

Quanto às faixas etárias, a partir dos 80 anos a taxa de mortalidade chega quase aos 15%, entre os 70 e 19 fixa-se nos 8% e entre os 60 e 69 anos não chega aos 4%. Entre os 50 e 59 anos o valor não chega aos 2%.

O estudo também avalia as outras doenças de que sofrem os doentes infetados com coronavírus, colocando as cardiovasculares em primeiro lugar, seguidas pela diabetes, pelas doenças crónicas respiratórias e pela hipertensão.

Os autores do estudo concluíram também que os homens têm maior probabilidade de morrer (2,8%) do que as mulheres (1,7%).

Sobre o pessoal médico, o estudo diz que é quem corre maiores riscos e indica que cerca de 3.000 terão sido infetados, dos quais 1.716 são casos confirmados. Cinco deles morreram até ao passado dia 11 de fevereiro, a última referência de data indicada no estudo.

No passado dia 13 de fevereiro, a China ampliou sua definição de como contabilizar as infeções, incluindo os "casos diagnosticados clinicamente", que anteriormente eram contados separadamente e não faziam parte dos “casos confirmados”.

Olhando para o futuro, o estudo conclui que "a curva epidémica do início dos sintomas" atingiu o pico entre 23 e 26 de janeiro, antes de cair até 11 de fevereiro, a última data a que o estudo faz referência.

O estudo sugere que a tendência de queda na curva epidémica geral poderia significar que o "isolamento de cidades inteiras, transmissão de informações críticas (por exemplo, promoção de lavagem das mãos, uso de máscaras e busca de cuidados) com alta frequência por meio de múltiplos canais e mobilização de equipas multissetoriais de resposta rápida estão a ajudar a conter a epidemia".

Mas os autores também alertam que, com muitas pessoas a regressar de um longo período de férias, o país "precisa de se preparar para uma eventual recuperação da epidemia".

O Covid-19 causou pelo menos 1.873 mortes em todo o mundo, entre as quais 1.868 na China continental, onde se registam 72.436 infeções, 99% dos casos a nível mundial.

Veja em baixo o mapa interativo com os casos de coronavírus confirmados até agora

Se não conseguir ver o mapa desenvolvido pela Universidade Johns Hopkins, siga para este link.

Todos os países com casos para além da China

- Outros países na Ásia

Japão: 65 casos, incluindo a morte de uma mulher, e pelo menos 454 em quarentena a bordo do cruzeiro "Diamond Princess".

Singapura: 77 casos

Tailândia: 35 casos

Coreia do Sul: 30 casos

Malásia: 22 casos

Taiwan: 20, incluíndo um morto

Vietname: 16 casos

Filipinas: 3 casos, entre eles uma vítima fatal, um chinês originário de Wuhan, que foi a primeira morte fora da China.

Índia: 3 casos

Camboja: 1 caso

Nepal: 1 caso

Sri Lanka: 1 caso

- Oceania

Austrália: 15 casos

Coronavírus (COVID-19): É seguro encomendar produtos da China? DGS responde a 10 perguntas
Coronavírus (COVID-19): É seguro encomendar produtos da China? DGS responde a 10 perguntas
Ver artigo

- América do Norte

Canadá: 8 casos

Estados Unidos: 29 casos. Um cidadão americano morreu vítima do novo coronavírus na China.

- Europa

Alemanha: 16 casos

França: 12 casos, incluindo uma morte, a primeira na Europa

Reino Unido: 9 casos, oito já receberam alta

Itália: 3 casos

Espanha: 2 casos, já recuperados e com alta

Rússia: 2 casos, já recuperados e com alta

Bélgica: 1 caso

Finlândia: 1 caso

Suécia: 1 caso

- Médio Oriente

Emirados Árabes Unidos: 9 casos

- África

Egito: 1 caso diagnosticado em 14 de fevereiro, o primeiro do continente africano.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.