A UBI adianta que o estudo está a ser realizado no Centro de Investigação em Ciências da Saúde (CICS) da universidade e que as mais recentes conclusões apontam para a possibilidade de tratamento - quer por via intravenosa, quer pelo método ‘in vitro’ - com nanopartículas contendo ácido retinóico.

"Em teoria, a administração destas nanopartículas não só pode reabilitar os vasos propriamente ditos, mas igualmente possibilitar que novos neurónios proliferem, migrem para a zona de lesão e sobrevivam", refere Raquel Ferreira, a investigadora que lidera o estudo e que é citada na nota.

As conclusões foram recentemente publicadas na "Nanoscale", que é considerada uma das mais importantes revistas científicas de nanociência.

De acordo com a investigadora, os resultados agora alcançados são "robustos" e foram mais longe do que se esperava inicialmente, abrindo portas a outra utilização da técnica realizada.

Leia também10 mentiras (em que acreditou) sobre a hipertensão arterial

Leia ainda8 alimentos que diminuem o risco de AVC

Assim, por um lado, a possibilidade de "administração destas partículas de forma intravenosa, de maneira a estimular o mecanismo de regeneração interno", método para o qual ainda é necessário fazer testes de modo a confirmar que não há riscos para outros órgãos.

Por outro lado, pode também proceder-se à recolha "das células progenitoras endoteliais, aumentar o seu número ‘in vitro’ e voltar a injetá-las no doente para que façam o que sabem de melhor, ou seja, promover a reparação tanto vascular como do tecido cerebral", acrescentou Raquel Ferreira.

A investigação pretende agora avançar para testes em modelo animal e dentro de um ano espera ter mais elementos que complementem estes dados.

O artigo que dá a conhecer os recentes resultados tem o título "Retinoic acid-loaded polymeric nanoparticles enhance vascular regulation of neural stem cell survival and differentiation after ischaemia", é encabeçado por Raquel Ferreira e conta com coautoria de outros elementos.

Segundo a nota da UBI, participaram na realização do trabalho Márcia Fonseca, Tiago Santos, Liliana Bernardino (CICS), Miguel Castelo Branco, que é também diretor do mestrado integrado em Medicina da UBI, e ainda Fátima Paiva e Ricardo Tjeng, clínicos do Centro Hospitalar Cova da Beira, João Sargento-Freitas, clínico no Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra, e Lino Ferreira, investigador no Biocant Park e no Centro de Neurociências e Biologia Celular de Coimbra.

A publicação na "Nanoscale" é editada pela Royal Society of Chemistry e trata-se de uma revista científica que está entre as melhores e se direciona para a aplicação de terapêuticas de novas formulações.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.