9 de abril de 2013 - 11h21
Uma professora do Instituto Politécnico de Tomar (IPT) desenvolveu um sistema de navegação assistida para cadeira de rodas robotizada que se destina a pessoas que sofrem de deficiências motoras graves.
A cadeira de rodas “suporta um ‘interface’ homem/máquina que providencia comandos esparsos e discretos”, pode ler-se numa nota divulgada pela instituição.
O trabalho foi apresentado no âmbito da tese de doutoramento da docente Ana Cristina Lopes, defendida em Engenharia Eletrónica, na especialidade de Instrumentação e Controlo.
O sistema de navegação assistida destina-se a pessoas com deficiências motoras graves que são incapazes de operar a maioria das cadeiras de rodas robotizadas e “é baseado numa abordagem de controlo colaborativo de duas camadas que tem em conta as informações provenientes do homem e da máquina”, informou o IPT.
Ainda segundo o Politécnico de Tomar, o protótipo foi validado a partir de dez participantes sem deficiência e um com deficiência motora grave.
A defesa do trabalho foi realizada em dois cenários distintos: um ambiente estruturado desconhecido e outro desconhecido com obstáculos em movimento.
“O resultado global mostrou que todos os participantes foram capazes de operar com êxito o sistema”, que mostrou “um elevado nível de robustez”, considerou o IPT na nota enviada à agência Lusa.
Lusa

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.