Segundo revelou hoje à Lusa o administrador da estrutura com três hospitais na zona Norte do distrito de Aveiro, em causa está o Programa Acolhe, que, para o efeito, recebeu mais de 41.500 euros em financiamento do Plano de Recuperação e Resiliência para comunidades desfavorecidas.

“Há muitas crianças e jovens à guarda de instituições, como determinado pelos tribunais por diversas razões, e é frequente esses miúdos precisarem de acompanhamento médico, mas levá-los ao hospital é sempre um problema para eles próprios e para os centros de acolhimento”, explicou Miguel Paiva.

O CHEDV dispõe agora de uma equipa e uma viatura específicas para deslocação a essas instituições, o que também aliviará a despesa dos centros de acolhimento com visitas ao hospital, mas visa sobretudo “reduzir o stress psicológico das crianças retiradas às suas famílias, porque tirá-las de casa dos pais já é problemático o suficiente e elas não precisam da angústia acrescida da experiência em ambiente hospitalar”.

Entre pediatras, pedopsiquiatras, psicólogos e enfermeiros, cerca de 10 profissionais integrarão assim a equipa do programa Acolhe, que, em cada ano, estima ter que lidar com “cerca de uma centena de casos” envolvendo crianças institucionalizadas.

“Não é um número muito grande, mas envolve sempre situações altamente complexas e delicadas, relacionadas, por exemplo, com abuso sexual, violência doméstica, negligência e maus tratos”, realçou Miguel Paiva.

Atendendo aos riscos biológicos e sociais que esses problemas podem gerar, o administrador dos hospitais da Feira, Oliveira de Azeméis e São João da Madeira acredita que a equipa especializada do Acolhe, ao deslocar-se para exercer funções num ambiente menos intimidante para as crianças, irá identificar mais precocemente eventuais disfunções sensoriais e de neurodesenvolvimento que nelas possam surgir.

“Isso permitirá, por sua vez, fazer cumprir com mais rapidez e eficiência o esquema de acompanhamento definido para cada uma delas, ajudando ao seu bem-estar e à estabilidade possível no contexto destas famílias desestruturadas”, assinalou.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.