10/01/2013 - 11h31

O ministério da Saúde garantiu hoje que desconhece quaisquer casos de proibição de prescrição de medicamentos nos hospitais do Serviço Nacional de Saúde (SNS), denunciados pelo bastonário dos médicos.

O bastonário da Ordem dos Médicos, José Manuel Silva, denunciou, na quarta-feira à noite, que há situações de clínicos que estão a ser proibidos de prescrever os medicamentos que consideram adequados para os seus doentes por causa de novas diretrizes hospitalares impostas pelos cortes financeiros.
O bastonário, que falava num debate promovido pela Ordem dos Médicos sobre racionamento e racionalização de medicamentos, deu o exemplo da hepatite C, relatando que os novos medicamentos antivirais estão a ser usados de forma diferente consoante os hospitais, havendo algumas unidades que não estão a permitir a sua utilização.
Em comunicado enviado à agência Lusa, o ministério da Saúde declara que não tem conhecimento de quaisquer casos de proibição de prescrição de medicamentos nos hospitais do SNS.
“Dada a gravidade das suas declarações, o ministério da Saúde aguarda que o sr. bastonário esclareça com rigor que hospitais, com que médicos, para que patologias concretas e envolvendo que medicamentos, os casos apontados genericamente estarão, supostamente a ocorrer”, é referido no comunicado.

O ministério da Saúde adiantou, no entanto, que não “deixará de averiguar as situações e de agir em conformidade”.

Lusa

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.