A revista do Instituto Nacional de Consumo (INC) reconhece, contudo, que "os níveis detetados [nos produtos] são baixos", ainda assim "potencialmente tóxicos".

Algumas destas substâncias são suspeitas de provocar perturbações endócrinas, como desregulações hormonais.

Faltam dados científicos suficientes que avaliem o verdadeiro risco desses produtos tóxicos para as mulheres, escreve a publicação.

A presença de resíduos potencialmente tóxicos foi detetada em 5 de 11 tampões menstruais analisados pela revista. A publicação aponta em particular a presença de "traços de dioxinas em dois tampões de grandes marcas, de três analisadas".

Além disso, a investigação patrocinada pelo organismo detetou "resíduos de glifosato", ingrediente químico utilizado nos herbicidas, "em pensos higiénicos de uma marca que se diz orgânica".

O INC alerta os poderes públicos para esta questão e pede a "implementação de uma regulamentação específica para este tipo de produtos de higiene íntima feminina, impondo uma maior transparência e controlos mais rigorosos, assim a apresentação detalhada da composição dos produtos nos rótulos dos mesmos".

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.