Cerca de 89% da população portuguesa desconhece o que é um linfoma, um tumor maligno que resulta do crescimento anormal de células do sistema linfático, revelou domingo passado, no Porto, o presidente da Associação Portuguesa de Leucemias e Linfomas (APLL).

Segundo João Salazar, anualmente surgem entre 1.500 e 1.700 novos casos desta doença, que é considerada a quinta causa de morte relacionada com cancro nos homens e a sexta nas mulheres.

O presidente da APLL falava no âmbito da sexta edição da iniciativa «Pedalar Contra o Linfoma», que se realizou durante a manhã, com a participação de mais de mil pessoas, entre os quais o secretário de Estado da Saúde, Manuel Pizarro, vários diretores de hospitais e o ciclista Cândido Barbosa, que apadrinhou a iniciativa. Além da divulgação da doença, dos seus sintomas e tratamentos, a corrida teve também como objetivo a angariação de fundos, destinados a auxiliar os doentes mais carenciados.

«Todos os meses, canalizamos para os doentes mais carenciados cerca de 800 euros, para ajudar na compra de medicação e tratamentos em ambulatório», referiu João Salazar.

À semelhança de outros participantes, também o secretário de Estado da Saúde disse que a sua participação é «um sinal de solidariedade para com os doentes e com as suas famílias».

«Hoje, felizmente, mercê dos avanços tecnológicos da medicina, a maioria dos linfomas ficam curados, mas mesmo esse processo de cura não nos deve deixar esquecer as pessoas que sofrem com essa doença. É muito importante que a sociedade seja solidária e que participe activamente neste esforço de melhoria das condições de saúde do país», considerou Manuel Pizarro.

O governante referiu que no linfoma, como em outras doenças do foro oncológico, «a detecção precoce faz toda a diferença» e que, sob esse ponto de vista, «é muito importante que as pessoas possam conhecer quais são os sintomas que permitem aventar a possibilidade de um linfoma».

Uma vez mais, «isso reforça a importância dos cuidados de saúde primários, é muito importante que as pessoas tenham acesso fácil ao seu médico de família para que quando tem sintomas que acham que precisa de um melhor estudo possam ter um médico que as oriente», sustentou.

Os sintomas do linfoma são pouco específicos, porque são comuns a um grande número de doenças, o que dificulta o diagnóstico inicial. O sintoma mais frequente é o aparecimento de um gânglio linfático aumentado de tamanho, que não causa dor e pode estar localizado no pescoço, axilas ou virilhas. Outros sintomas que podem surgir são: suores intensos durante a noite, febre sem explicação, cansaço extremo e perda de peso inexplicável.

2010-09-15

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.