Daniela Duque Ferreira tem 34 anos, é licenciada em Ciências Biomédicas e foi diagnosticada com um tumor maligno no colo do útero em fevereiro deste ano.

"Surgiu um pequeno dilema com o meu rim, que afinal já era um efeito do cancro e desde então tenho andado a fazer uma bateria de exames. Os médicos não acreditam que eu tenha mais de um ano de vida, embora eu não esteja nada de acordo", conta a jovem num dos vídeos partilhados pela própria na página do Facebook "Vamos ajudar a Daniela".

Estes são os sintomas de cancro mais ignorados pelos portugueses
Estes são os sintomas de cancro mais ignorados pelos portugueses
Ver artigo

"Sempre fui uma pessoa que cuidou muito da sua saúde, era super ativa, trabalhava, corria, ia para o ginásio, para a natação", recorda. Segundo Daniela, os médicos dão-lhe agora cerca de um ano de vida.

Perante este diagnóstico, a jovem decidiu recorrer à Fundação Champalimaud para tentar uma terapia experimental que a salve. "Estou à procura de um milagre", comenta.

Nos vídeos, a jovem refere que precisa de ajuda financeira - entre 45 mil e 165 mil euros - para fazer um dos protocolos de tratamento de imunoterapia disponíveis no mercado de saúde privado.

Entretanto, partilhou uma publicação no Facebook na qual mostra já ter angariado mais de 47 mil euros.

Daniela Duque Ferreira ficou a saber na quarta-feira numa consulta médica que os tratamentos de imunoterapia que a Fundação Champalimaud fornece não se destinam ao seu tipo de tumor.

Voltar à "estaca zero"

10 alimentos que aumentam o risco de cancro
10 alimentos que aumentam o risco de cancro
Ver artigo

"Tudo me parecia uma luz ao fundo do tunel e de repente voltei à estaca zero", comenta a jovem num vídeo partilhado na quarta-feira.

Daniela Duque Ferreira vai agora procurar ajuda num centro de imunoterapia na Alemanha. "Resta-me a hipótese da Alemanha. Vão tirar-me parte do meu sangue e vão reintroduzi-lo depois de diferenciarem os meus monócitos em células dentríticas. Estas, de volta ao meu organismo, vão alertar os meus linfócitos T para combaterem o tumor", explica.

"Essa é a minha esperança, mas a médica [da Fundação Champalimaud] não foi a favor desta terapia", adianta.

A jovem já iniciou a primeira sessão de três tratamentos iniciais de quimioterapia.

O humorista Nilton partilhou esta semana um vídeo de Daniela Duque Ferreira e comentou o caso: "Um murro no estômago".

"Tenho os meus sonhos, tenho os meus projetos e quero realizá-los a todos", assevera a jovem de 34 anos num dos vários vídeos que tem publicado online e nos quais relata o seu dia a dia.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.