Segundo a atualização semanal da Autoridade de Saúde Regional dos Açores, a ilha de São Miguel apresentou uma taxa de incidência de 25 novos casos por 100 mil habitantes nos últimos sete dias.

A ilha reduziu também o número de internamentos por covid-19, passando de 10 na semana anterior para quatro esta semana, e os Açores não registaram óbitos nos últimos sete dias.

Todos estes critérios conjugados colocam São Miguel em muito baixo risco, o que já não acontecia desde 24 de fevereiro, segundo números da Autoridade de Saúde Regional.

Os Açores alteraram, em 06 de agosto, a matriz de risco de transmissão de SARS-CoV-2, passando a incluir, além da incidência de casos, o número de internamentos e o número de óbitos devido à covid-19.

Na semana passada, a ilha de São Miguel já tinha baixado de médio para baixo risco.

Com esta nova descida, a partir das 00:00 de sábado, a ilha deverá ficar sujeita às mesmas medidas de contenção da propagação do SARS-CoV-2, aplicadas ao resto do arquipélago.

Nos restaurantes e cafés há uma “limitação a um número máximo de dez pessoas por mesa”, salvo se pertencerem ao mesmo agregado familiar, e a lotação máxima permitida é “de três quartos da capacidade do estabelecimento”.

Os eventos culturais e competições desportivas têm também uma limitação da presença de público de “três quartos da respetiva lotação”.

Os estabelecimentos de bebidas e similares com espaços de dança podem abrir, desde que cumpram “orientações técnicas aplicáveis”.

A Autoridade de Saúde Regional dos Açores atualiza os níveis de risco de transmissão do SARS-CoV-2 nas diferentes ilhas à quinta-feira, mas, atualmente, esta avaliação é feita apenas na ilha de São Miguel, a única em que está declarada transmissão comunitária.

“Atendendo à situação epidemiológica atual, nomeadamente pela não verificação de transmissão comunitária nas restantes ilhas, considera-se que o risco epidemiológico aplicável é muito baixo risco”, lê-se no boletim.

O artigo 13.º da resolução do Conselho de Governo que determina as medidas de controlo da covid-19 prevê que “decorridos 14 dias após 70% da população estar vacinada com a segunda toma da vacina, aplicam-se as medidas das ilhas de muito baixo risco”, mas apenas nas ilhas “sem transmissão comunitária”.

A ilha de São Miguel atingiu os 70% de vacinação há precisamente 14 dias, no dia 26 de agosto, mas mantém transmissão comunitária.

Questionada pela Lusa, fonte oficial da secretaria regional da Saúde confirmou que a avaliação do nível de risco vai continuar a ser feita na ilha de São Miguel, tendo em conta a existência de transmissão comunitária.

Os Açores têm atualmente 116 casos ativos de infeção pelo novo coronavírus que provoca a doença covid-19, dos quais 81 em São Miguel, 20 no Pico, 14 na Terceira e um no Faial.

Desde o início da pandemia, foram diagnosticados na região 8.774 casos de infeção, tendo ocorrido 8.447 recuperações e 42 mortes. Saíram do arquipélago sem terem sido dadas como curadas 94 pessoas e 75 apresentaram comprovativo de cura anterior.

Até segunda-feira, tinham vacinação completa contra a covid-19 nos Açores 177.122 pessoas, correspondentes a 74,8% da população do arquipélago.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.