“As pessoas que estão nos lares ilegais são para nós iguais às pessoas que estão nos lares legais. Claro que serão testados, mas quem tem de fazer a diferenciação, porque nós não os conhecemos, é a segurança social”, afirmou António Lacerda Sales na conferência de imprensa diária sobre a pandemia por covid-19.

Sobre a capacidade de testagem nos lares de idosos, o sub-diretor-geral da Saúde anunciou que já está disponível no site da Direção-geral da Saúde (DGS) uma nova norma orientadora.

“É uma preocupação para nós a situação dos lares, tendo em conta que é uma população de risco. Fizemos algumas atualizações à orientação prévia que responde às necessidades de fazer mais testes e sempre que existem suspeitos ou casos confirmados tentarmos caracterizar a população dentro do lar”, afirmou Diogo Cruz.

A nova orientação da DGS, acrescentou, vai no sentido de testar e caracterizar as pessoas externas, mas que estão em contacto com os lares de idosos, como os diversos profissionais que prestam serviço para “tentar parar as vias de transmissão o mais rapidamente possível”.

Em Portugal, segundo o balanço feito na terça-feira pela Direção-Geral da Saúde, registaram-se 345 mortes, mais 34 do que na véspera (+10,9%), e 12.442 casos de infeções confirmadas, o que representa um aumento de 712 em relação a segunda-feira (+6%).

Dos infetados, 1.180 estão internados, 271 dos quais em unidades de cuidados intensivos, e há 184 doentes que já recuperaram.

Portugal, onde os primeiros casos confirmados foram registados no dia 02 de março, encontra-se em estado de emergência desde as 00:00 de 19 de março e até ao final do dia 17 de abril.

O desinfetante das mãos pode ser feito em casa ou substituído por álcool?

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.