Após ter sido detetado no domingo o primeiro caso de infeção, relativo a uma utente de 85 anos, foram feitos na terça-feira testes de despiste de covid-19 aos restantes 16 utentes e 24 funcionários do lar, tendo 26 dado resultado positivo, o que eleva para 27 o número de infetados, precisou Marcelo Guerreiro.

Segundo o autarca, atualmente, há 27 casos de infeção confirmados no Lar de Santa Luzia, propriedade da Santa Casa da Misericórdia de Ourique (distrito de Beja), sendo 14 utentes e 13 funcionários.

Dos 41 testes feitos na terça-feira, 26 resultaram positivos (13 utentes e 13 funcionários), 10 deram resultados negativos (um utente e nove funcionários) e quatro tiveram resultados inconclusivos (dois utentes e dois funcionários).

Segundo o autarca, a idosa de 85 anos que foi o primeiro caso de infeção detetado está internada no hospital de Beja e todos os restantes 26 infetados, que estão "assintomáticos", vão ficar confinados e "em quarentena vigiada" no lar.

"Vão ser contratados recursos humanos alternativos para substituir os funcionários infetados e uma empresa especializada para acompanhar os 26 infetados" no lar, "segundo as melhores práticas de saúde pública", disse o autarca, referindo que foram também ativados protocolos com o Instituto do Emprego e Formação Profissional e a Cruz Vermelha Portuguesa para dar resposta à situação.

Marcelo Guerreiro disse que o único utente com resultado negativo no teste vai ser retirado do lar durante a tarde de hoje para uma casa do município e os dois utentes e dois funcionários com resultados inconclusivos vão manter-se no lar enquanto aguardam pelos resultados de segundos testes.

Na quinta-feira, vão ser feitos testes de despiste de covid-19 a todos os contactos dos infetados no Lar de Santa Luzia, adiantou o autarca, referindo que "não está em cima da mesa" a colocação de um cerco sanitário à aldeia, que tem cerca de 350 habitantes.

O autarca falava à Lusa depois de ter participado numa reunião da Comissão Municipal de Proteção Civil que decorreu hoje para analisar a situação no lar.

Num comunicado divulgado após a reunião, a Câmara de Ourique informou que a situação está a ser acompanhada pelo município, pelas autoridades de saúde, pela Segurança Social e pela Santa Casa da Misericórdia, e que "está em curso uma enorme operação logística para responder à ocorrência, socorrendo quem foi infetado e assegurando aos restantes um quadro de segurança e tranquilidade nas dinâmicas que estão a decorrer na comunidade".

"Estamos confrontados com um enorme desafio de saúde pública, em que cada um tem uma responsabilidade essencial na prevenção e na identificação de sintomas que podem indiciar o contágio", frisa o município.

O primeiro caso positivo de covid-19 no Lar de Santa Luzia tinha sido detetado no domingo, após um teste realizado pela utente no hospital de Beja, devido a "um episódio hospitalar de urgência".

Fonte da Unidade Local de Saúde do Baixo Alentejo disse hoje à Lusa que a idosa foi operada e está internada no piso dedicado à covid-19, com um estado de saúde considerado "estável".

Em declarações à Lusa, o comandante dos Bombeiros Voluntários de Ourique, Mário Batista, informou que os operacionais da corporação que transportaram no domingo a idosa infetada do Lar de Santa Luzia para o Serviço de Urgência Básica de Castro Verde, de onde depois foi transferida para o hospital de Beja, estão desde aquele dia em isolamento, bem e sem qualquer sintoma de covid-19, tendo feito hoje teste de despiste da doença.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.