Segundo os dados oficiais, nas últimas 24 horas foram registadas mais 245 mortes, elevando para 28.235 o número acumulado de óbitos, enquanto o de casos de infeção se fixou em 1.636.781.

Em Moscovo, principal foco de infeção no país, foram detetados nas últimas 24 horas 5.261 novos casos, mais 309 do que no dia anterior.

Apesar do forte aumento de casos nas últimas semanas, em que o total diário quase triplicou, as autoridades russas não estão a encarar, para já, a aprovação de medidas drásticas, como um confinamento, recolher obrigatório ou a paralisação do setor económico.

Em Moscovo, a câmara local prorrogou até 29 deste mês o regime de teletrabalho para, pelo menos, 30% das empresas e organizações nos casos em que o modelo não afete de forma significativa o funcionamento.

Também se mantêm as recomendações para as pessoas com mais de 65 anos e doentes crónicos se manterem em casa, saindo à rua apenas em casos de absoluta necessidade.

As autoridades russas, entretanto, impuseram o uso obrigatório de máscaras em lugares públicos em todo o país.

A Rússia é atualmente o quarto país do mundo com maior número de casos do novo coronavírus, atrás dos Estados Unidos, Índia e Brasil.

A pandemia de covid-19 já provocou mais de 1,1 milhões de mortos e mais de 45,6 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.