“Se tudo correr bem e durante esta semana faremos essa avaliação em conjunto com a Direção-Geral da Saúde (DGS), com um conjunto de técnicos que acompanham o Governo nesta matéria, em discussão com parceiros sociais e com partidos políticos, e veremos se há condições para avançarmos para a fase seguinte”, disse Pedro Siza Vieira.

“A fase seguinte é marcada por um conjunto de restrições que são levantadas, entre as quais, talvez uma das mais impressivas do lado da economia, a reabertura dos estabelecimentos de restauração e bebidas”, sublinhou o ministro do Estado, da Economia e da Transição Digital na cerimónia de assinatura da declaração de compromisso dos parceiros sociais para a retoma económica e de assinatura do protocolo de cooperação entre a Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal (AHRESP) e a DGS.

Pelo menos dois metros entre pessoas e não só. As novas regras da DGS para a reabertura de bares e restaurantes
Pelo menos dois metros entre pessoas e não só. As novas regras da DGS para a reabertura de bares e restaurantes
Ver artigo

“É importante que este restabelecimento da nossa normalidade da vida societária se faça de acordo com precauções que ofereçam quer aos trabalhadores quer aos consumidores uma experiência segura e sobretudo rodeada das cautelas necessárias para manter sob controlo os números de propagação da epidemia”, afirmou o ministro.

O vice-presidente da AHRESP, Carlos Moura, sublinhou que o setor é um dos mais afetados pela pandemia e considerou que "após longas e dramáticas semanas de portas fechadas" os compromissos agora definidos com a DGS "simbolizam para o setor da restauração e bebidas o início de uma nova fase, de um novo desafio, tanto ou mais difícil do que o anterior e repleto de muitas incertezas".

De acordo com o Plano de Desconfinamento do Governo, divulgado em 30 de abril, os restaurantes e cafés retomam a atividade em 18 de maio, mas com algumas restrições no âmbito da mitigação à propagação da pandemia covid-19.

Na sexta-feira, a DGS emitiu orientações para a reabertura dos restaurantes e cafés, que devem privilegiar o uso das esplanadas e o serviço ‘take away’ e devem incentivar o agendamento prévio.

Entre as medidas a adotar, a autoridade de saúde destaca também a redução da capacidade máxima do estabelecimento, por forma a assegurar o distanciamento físico recomendado de dois metros entre as pessoas.

Por outro lado, estão desaconselhados os lugares de pé, tal como as operações do tipo ‘self-service’, como ‘buffets’.

A limpeza e desinfeção dos espaços deve respeitar as orientações anteriormente emitidas pela DGS.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.