Em comunicado, a PF frisou que a oferta de 200 milhões de doses foi feita por supostos representantes de um grande consórcio farmacêutico que apresentaram credenciais falsas.

O nome do consórcio farmacêutico e dos investigados envolvidos neste caso não foram revelados pela polícia brasileira.

As investigações começaram a partir de uma informação encaminhada pelo próprio Ministério da Saúde à polícia.

Estas informações iniciais apontavam que pelo menos dois homens, através de duas empresas, apresentaram credenciais falsas, afirmando terem exclusividade para a comercialização do lote de 200 milhões de vacinas.

“Além do Ministério da Saúde, identificou-se que a oferta fraudulenta também era feita a outros gestores públicos”, destacou a PF.

Desde o início da manhã, os agentes da polícia cumprem sete mandados de busca e apreensão nos estados de Minas Gerais e Espírito Santo. Os mandados foram expedidos pela Justiça do Distrito Federal.

“Os factos apurados amoldam-se aos crimes de associação criminosa, estelionato em face de entidade pública [crime contra o património], falsificação de documento particular e falsificação de produto destinado a fins medicinais”, concluiu a PF.

Um balanço da vacinação contra a covid-19 divulgado na quarta-feira pelos principais meios de comunicação social que firmaram um consórcio no Brasil para recolher dados sobre a pandemia divulgou que 13.389.523 pessoas já receberam a primeira dose de vacina no país. O número representa 6,32% da população brasileira.

Na quarta-feira, o Brasil ultrapassou a marca das 300 mil mortes devido à covid-19 (300.685).

O país já registou um total para 12.220.011 casos positivos de covid-19.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 2.735.411 mortos no mundo, resultantes de mais de 124,1 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.