O processo de vacinação, que arrancou na última sexta-feira, a norte do distrito de Setúbal, decorre terça e quarta-feira no Hospital do Litoral Alentejano (HLA), em Santiago do Cacém, e engloba as corporações dos concelhos de Alcácer do Sal, Grândola, Santiago do Cacém, Sines e Odemira.

Em declarações à agência Lusa, o presidente da federação, João Ludovico, explicou que nesta primeira fase da vacinação, apenas, metade do dispositivo será inoculado com a primeira dose da vacina da Astrazeneca.

“Entre hoje e amanhã [quarta-feira] iremos vacinar cerca de 160 bombeiros do litoral alentejano, incluindo Odemira e Vila Nova de Milfontes, que fazem parte da Unidade Local de Saúde do Litoral Alentejano (ULSLA). [A operação] arrancou esta manhã, às 09:00, com a vacinação de bombeiros no hospital”, explicou.

O dirigente reconhece que é “um número insuficiente” de bombeiros abrangidos nesta fase da vacinação, embora note tratar-se de “um sinal positivo” para o dispositivo que está na linha da frente no combate à covid-19.

“É um número insuficiente para aquilo que é necessário, mas já é um sinal positivo e esperamos que a segunda fase para os outros 50% em falta chegue em breve para que os restantes bombeiros que estão na linha da frente no combate à pandemia e na resposta ao socorro e ao transporte de doentes possam receber a sua vacina”, acrescentou.

João Ludovico lamenta, no entanto, que o início da vacinação aos bombeiros se tenha arrastado no tempo quando são “estes profissionais que dão resposta a 95% do socorro às populações”.

“Foi um processo bastante longo. A federação sempre defendeu que os bombeiros deveriam ter sido vacinados na mesma altura que os profissionais de saúde e até do INEM porque não podemos esquecer que os bombeiros fazem 95% do socorro às populações, têm estado envolvidos nos grupos que têm feito a transferência de doentes covid para os hospitais, entre outros, por isso esta vacinação peca por tardia”, lamentou.

O presidente da federação, disse ainda que o processo “tem sofrido alguns constrangimentos” com “trocas dos dias que estão marcados” para a vacinação dos bombeiros, e espera que “agora possa fluir” e “que a vacinação dos restantes 50% avance o mais rapidamente possível para termos os bombeiros protegidos”.

Segundo o responsável, está previsto vacinar um total de 808 bombeiros das corporações do distrito de Setúbal nesta fase do Plano Nacional de Vacinação.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 2.400.543 mortos no mundo, resultantes de mais de 108,7 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal morreram 15.411 pessoas dos 787.059 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.