A equipa clínica alemã, formada por 26 profissionais de saúde, que chegou hoje a Portugal vai trabalhar no Hospital da Luz, em Lisboa, confirmou à Lusa fonte do ministério da Saúde ao final da manhã de hoje.

Numa pergunta enviada ao Ministério da Saúde e a que a agência Lusa teve acesso, o BE considerou que “esta é uma situação que precisa de ser urgentemente esclarecida”, referindo que “essa ajuda deveria servir para reforçar a capacidade de resposta do SNS e, através desse reforço aliviar a pressão”.

“A ministra da Saúde tem dito que o problema é a falta de profissionais e que se eles existissem seria possível expandir as repostas de internamento e de UCI [Unidade de Cuidados Intensivos]. Há hospitais do SNS que foram expandindo, ao longo da pandemia, os seus espaços de cuidados intensivos e que se tiverem reforço de profissionais podem maximizar as duas respostas. Mas, a decisão parece ter sido, afinal, colocar estes profissionais no hospital da Luz. Porquê? Este hospital e seus recursos foram requisitados e estão agora sob gestão do SNS?”, questionou o deputado Moisés Ferreira.

Assim, o BE pretende que o ministério liderado por Marta Temido esclareça “que hospitais públicos foram auscultados para a integração destes profissionais” e quais os hospitais do SNS “referem a necessidade de mais profissionais para aumentar a sua resposta em UCI”.

O número de camas que o Governo pretende abrir com a chegada desta equipa da Alemanha é outra das respostas que os bloquistas esperam obter.

“Foi estabelecido algum protocolo ou acordo com o hospital da Luz ou proceder-se-á à requisição dos recursos necessários, sob gestão do SNS, neste e noutros hospitais do setor privado e social, de forma a aumentar a capacidade de internamento no país?”, pergunta ainda.

O processo de auxílio alemão a Portugal arrancou em 25 de janeiro, na sequência de um pedido de ajuda da ministra da Saúde, Marta Temido, à ministra da Defesa alemã, Annegret Kramp-Karrenbauer.

A notícia da vinda da equipa alemã para um hospital particular, o hospital da Luz, foi inicialmente avançada pelo jornal Expresso.

A equipa é constituída por 26 profissionais de saúde, entre os quais seis médicos, que trazem também 40 ventiladores móveis e 10 estacionários, 150 bombas de infusão e outras tantas camas hospitalares.

Em comunicado, o Hospital da Luz explicou hoje que em reposta ao apelo do Ministério da Saúde, “foi possível realocar doentes, recursos e adaptar espaços, em tempo recorde”, de forma a disponibilizar um núcleo de “mais oito camas de cuidados intensivos” que permitirá à equipa alemã trabalhar num espaço único, “proporcionando-lhes condições de maior eficiência no tratamento de doentes graves”, provenientes de hospitais públicos da região de Lisboa.

A equipa contará, segundo o Hospital da Luz, “permanentemente com o apoio de todos os recursos clínicos” daquela unidade, nomeadamente das especialidades médicas de apoio à UCI (unidade de cuidados intensivos), patologia clínica, exames de imagiologia, bem com a garantia das cadeias de abastecimento de consumos clínicos e fármacos.

As camas agora disponibilizadas vão reforçar a capacidade de resposta para tratamento de doentes covid no Hospital da Luz Lisboa, totalizando atualmente 106 camas, das quais 25 destinadas a cuidados intensivos, pode ler-se no comunicado.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.