Acredita-se que todos os anos ocorram, em Portugal, pelo menos 300 novos casos de mieloma múltiplo, sendo que algumas destas pessoas não chegam a ser diagnosticadas. A doença ocorre sobretudo entre os 50 e os 70 anos, com um pico de incidência entre os 60 e os 65 anos. Apenas em 3% dos casos o doente tem idade inferior a 40 anos.

Uma vez que se trata de uma doença rara é ainda pouco conhecida por parte da sociedade. Por este motivo, duas associações portuguesas, a Associação Portuguesa Contra a Leucemia (APCL) e a Associação Portuguesa de Linfomas e Leucemias (APLL), colaboram conjuntamente para chamar a atenção e aumentar o conhecimento sobre a doença e o impacto do mieloma múltiplo nos doentes e respetivos familiares.

Com este objetivo criaram uma bolsa “O doente com Mieloma Múltiplo no centro da investigação e acesso aos cuidados de saúde”, no valor de 8 mil euros. Podem candidatar-se projetos a desenvolver em instituições portuguesas focados no doente com mieloma, os quais podem abranger áreas de epidemiologia, literacia, dimensões de qualidade de vida, perceções, necessidades e direitos dos doentes e cuidadores. As candidaturas podem ser submetidas até 31 de janeiro através do email myelomaaward.pt@gmail.com. O projeto vencedor será anunciado em março do 2016, no âmbito do Mês da Consciencialização do Mieloma Múltiplo.

Um maior conhecimento sobre o mieloma múltiplo contribui para aumentar a participação informada dos doentes e familiares, nas decisões sobre as alternativas terapêuticas disponíveis para esta doença. Esta ação pretende ser um ponto de partida para identificar meios que possibilitem melhorar a qualidade de vida das pessoas que vivem todos os dias com esta doença. Nos dias de hoje, é de extrema importância que os doentes tenham acesso à informação sobre a sua doença e que estejam no centro de toda a investigação, para que possam gerir a sua condição da melhor forma.

Podem encontrar mais informação sobre a bolsa e condições de candidatura nos sites www.apcl.pt e www.apll.org.

Mieloma múltiplo o que é?

O mieloma múltiplo é uma doença rara do sangue, maligna, que se desenvolve a partir de células sanguíneas denominadas plasmócitos, que são as células do sistema imunitário que no indivíduo saudável produzem os anticorpos (imunoglobulinas) para o combate às infeções. Estas células têm origem na medula óssea, que é o sítio onde se dá a produção de todas as células sanguíneas, e que se localiza no interior de alguns ossos (membros, vértebras e esterno). 

Normalmente os plasmócitos na medula são em pequeno número (menos de 5%). No mieloma há um clone de plasmócitos anormal que prolifera de forma não controlada e infiltra a medula óssea. Estes plasmócitos produzem grandes quantidades de proteína (imunoglobulina) anormal. Na análise ao sangue chamada electroforese das proteínas deteta-se o pico de proteína M (de Monoclonal) o que leva a suspeitar da doença.

A melhor forma de contribuir para um diagnóstico do mieloma múltiplo mais precoce é a avaliação regular pelo médico e procurar sempre a causa de alterações encontradas nos exames complementares.

Os exames de diagnóstico fazem-se através de análises ao sangue e à urina para verificar se há o pico M de proteínas anormais, análise da medula óssea e eventualmente, biopsia óssea e várias radiografias aos ossos.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.