Entre 18 de março e 19 de maio, o seu património líquido total aumentou em 434 mil milhões, enquanto a pandemia de coronavírus causou perdas de emprego e agonia económica para dezenas de milhões de americanos.

A fortuna de Bezos cresceu mais de 30%, para 147,6 mil milhões de dólares, enquanto a de Zuckerberg saltou mais de 45%, para 80 mil milhões, segundo o estido da Americans for Tax Fairness e do Programa de Desigualdade do Instituto de Estudos Políticos.

A análise foi baseada em dados da lista de bilionários divulgada pela revista Forbes.

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de covid-19 já provocou quase 330 mil mortos e infetou mais de 5,1 milhões de pessoas em 196 países e territórios.

Para combater a pandemia, os governos mandaram para casa 4,5 mil milhões de pessoas (mais de metade da população do planeta), paralisando setores inteiros da economia mundial, num “grande confinamento” que vários países já começaram a aliviar face à diminuição dos novos contágios.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.