Cerca de 14 mil postais subscritos por outros tantos opositores ao encerramento da Maternidade Alfredo da Costa (MAC) vão ser hoje entregues na Presidência da República.

“É inadmissível que o governo anuncie o encerramento da MAC, privando os utentes de uma unidade de saúde imprescindível, e colocando em causa centenas de postos de trabalho ou condenando os seus trabalhadores à mobilidade forçada, revelando desrespeito pelas suas vidas”, referem os postais dirigidos ao Presidente da República, Cavaco Silva.

Na sexta-feira, o movimento contra o encerramento da unidade de saúde que o governo quer fechar até final do ano promove uma concentração junto ao Hospital de S. José, onde funciona o conselho de administração do Centro Hospitalar de Lisboa Central, a que pertence a MAC.

A intenção de encerrar a maternidade já tinha sido afirmada pelo ministro da Saúde e foi anunciada pela administradora da unidade na passada quinta-feira, numa reunião com os diretores dos serviços.

Os funcionários e os diferentes serviços deverão ser transferidos para o Hospital Dona Estefânia, também em Lisboa.

O encerramento da maior maternidade do país tem sido contestada de um modo geral pelos partidos da oposição ao governo, pelos sindicatos representativos dos trabalhados daquela unidade e já motivou várias manifestações populares de contestação.

21 de junho de 2012

@Lusa

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.