Muitas das dores musculoesqueléticas são o resultado de uma deficiência de adaptação, em que os mecanismos de compensação e autoregulação atingem um ponto de exaustão, de tal maneira que ocorre a chamada descompensação.

Estimular estes mecanismos autorreguláveis a cumprir o seu papel exige que o profissional esteja habilitado a desenvolver esta massagem, que pode ser catalizadora para a autocura e a regeneração. A Golfers Massage está desenvolvida para que o aspeto "mental" do técnico interfira pouco: ensinamos o Kata - (origem Japonesa), a série de técnicas a executar - mas, não se desenvolvem voluntariamente as explicações teóricas acerca dos pontos de acupressão e os seus efeitos específicos.

Esta massagem possui necessariamente uma vertente terapêutica estimulando as estruturas mais solicitadas na prática do golfe, mas, quanto menos aquele que a coloca em prática intelectualiza aquilo que faz, mais pode ficar presente para o cliente a relação que se estabelece, a sensação.

Para além das técnicas ocidentais de massagem utilizadas, a Golfers Massage é muito precisa. Os pontos tocados seguem o mapa preciso dos pontos motores e de acupressão existentes. As técnicas utilizadas devem ser praticadas com concentração e com um objetivo claro em mente: promover o equilíbrio músculo-esquelético das estruturas em risco no praticante de golfe.

Kata

A palavra "kata" traduzida significa "a maneira pela qual as coisas são realizadas". O kata não representa uma finalidade em si, mas sim um meio que permite atingir um objetivo: estimular estruturas corporais específicas. A Golfers Massage desenvolve-se sobre a forma de um kata. A existência de uma rotina rígida de procedimentos garante-nos mais qualidade e necessariamente a certeza que todos os técnicos a executam e dominam de forma semelhante.

Esta forma de trabalho corporal representa uma massagem "eclética" onde se abre uma "caixa de ferramentas" para se retirarem métodos ocidentais e orientais, que melhor se adaptam às necessidades. Poderemos pensar como técnicos que uma vez integrada a sequência de massagem (quando já não pensamos na sequência ou na localização de pontos), temos o nosso trabalho facilitado, mas no fundo é agora que começa a parte difícil.

O nível seguinte consiste em procurar a precisão e a fluidez, depois surge a concentração mais intensa nas relações e as conexões que se produzem. O ensino da Golfers’ Massage pretende que o movimento e a sequência não mudem, mas que o nível de domínio desses movimentos aumente a cada sessão.

A Buhalicious Golfers Massage utiliza a complementaridade dos seguintes ensinamentos:

- As mãos;
- Os fundamentos da acupressão;
- A localização precisa dos trigger points (pontos motores);
- A existência de zonas reflexas;
- Os diferentes métodos e técnicas de utilização das mãos;
- Os efeitos mecânicos e fisiológicos da mobilização dos tecidos moles;
- O conhecimento da anatomia superficial, da artrologia (estudo das articulações) e do consequente movimento humano.

Objetivos
- Estímulo músculoesquelético
- Balanceamento energético
- Atuar sobre a tonicidade e elasticidade dos tecidos
- Reduzir a dor

 

Saiba mais na próxima página

Análise cinesiológica durante a realização do "BackSwing"

É importante referir que os principais grupos musculares envolvidos em cada fase do swing são utilizados de uma forma controlada e sincronizada ao longo deste movimento. Os músculos desenhados num vermelho mais vivo são solicitados de forma mais ativa.

Fase do movimento analisada: The BackSwing

- A quase totalidade dos músculos do membro inferior direito trabalha para o apoio e transferência de peso na amplitude máxima deste movimento.
- A contração da parede abdominal inferior desempenha papel fundamental na manutenção estável da pélvis e zona lombar para que a rotação do tronco possa ser eficiente.
- O tríceps esquerdo e a generalidade dos músculos envolvidos na estabilização da omoplata esquerda estão contraídos para um correto controlo do taco na sua fase mais elevada.
- Os músculos da anca e coxa direita trabalham arduamente para assegurar uma rotação axial firme e estável.
- Toda a parede abdominal contrai-se para estabilizar a pélvis, manter ângulos vertebrais seguros e suportar a zona lombar durante a rotação do tronco na amplitude máxima do movimento.
- Os músculos do ombro esquerdo e braço trabalham para manter a firmeza e alinhamento correto do taco.
- O bíceps direito e músculos do antebraço contraem- se para controlar a correta posição do taco e para o manter suspenso/direcionado para o objetivo.

Cotovelo de golfista
O cotovelo de golfista é uma inflamação dos tendões dos flexores do punho na região do epicôndilo medial. É causada pelo esforço excessivo sobre um cotovelo em extensão, ficando a mão e o punho em tensão. É comum em jogadores de golfe, em praticantes de alguns tipos de artes marciais e mesmo em fisioterapeutas. Tratamento: para além do trabalho convencional com óleo e das mobilizações articulares específicas existem determinados pontos de acupressão utilizados no tratamento desta patologia. Alguns destes pontos são facilmente diluídos ao longo da rotina (kata) que constitui o corpo da Golfers Massage.

O praticante de golfe
A Golfer's Massage representa uma preciosa ferramenta no conjunto de variáveis que potenciam a performance do praticante de Golfe. As suas valências terapêuticas e desportivas aplicadas no momento certo, atuando a nível físico e indissociavelmente ao nível da concentração, podem ser aplicadas nas seguintes perspetivas:

1 -
Na preparação para um evento que ainda está a relativa distância temporal;
2 -
Num evento que está a decorrer (como preparação física e mental);
3 -
Num pós-evento como "antídoto" para os subprodutos do metabolismo criado pelo esforço;
4 -
Na prevenção de lesões pela repetição de movimentos e sobrecarga das estruturas.

Pela solicitação a que as estruturas estão sujeitas, aconselha-se a realização desta massagem com o objetivo da sua adequação ao nível técnico do praticante. Quanto maior o nível de performance (aumentando obrigatoriamente o número de treinos e jogos), mais necessidade existe de efetuar a massagem com regularidade.

Uma vez por semana num praticante assíduo é uma frequência aceitável, no entanto, poderá ser feita todos os dias se o paciente estiver a realizar jogos diários. Para tal, é realizado o denominado plano inicial de tratamento, onde se estipulam os objetivos a atingir.

Texto: Hugo Pedrosa, Formador da Escola de Massagem do CEFAD, Coordenador Técnico do Wellness Center Gingko, Lisboa

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.