A mil metros de altitude, próximo da cordilheira andina, a adega Zuccardi, na Argentina, sagrou-se vencedora da primeira edição dos prémios “The World's 50 Best Vineyards”, competição que visa eleger, com carácter anual, as melhores vinhas do mundo, os respetivos produtores vinícolas, e as experiências a elas associadas.

Numa lista com três vinhas sul-americanas nas cinco primeiras posições (ver lista completa no final do artigo), destaca-se um produtor português, na oitava posição, a duriense Quinta do Crasto. Em 2019 o mesmo produtor ocupava a quarta posição.

Uma tabela onde figuram, no que toca às dez primeiras posições, vinhas na Argentina, Chile, Uruguai, Áustria, Espanha. Estados Unidos, França e Itália.

As melhores adegas do mundo foram anunciadas. Portugal está entre os vencedores
Adega Zuccardi, Valle de Uco, Argentina, na primeira posição da lista. créditos: “The World's 50 Best Vineyards”

Nos prémios anunciados a 13 de julho, há uma outra referência nacional, também no Douro, a Quinta do Noval, uma estreante na tabela. Sobre a propriedade, a equipa da “The World's 50 Best Vineyards” diz: “com vinhas nos vales dos afluentes do Douro, no Pinhão e Roncão, a Noval ocupa uma das posições mais privilegiadas da região. Os seus 145 hectares de vinha - todos classificados com o mais alto nível de qualidade - são plantados com as castas nobres do Douro, Touriga Naçional, Touriga Franca, Tinta Roriz, Tinto Cão e Sousão”.

A lista “The World's 50 Best Vineyards” baseia-se nos votos da uma academia internacional com 500 apaixonados por vinhos, divididos por diferentes regiões geográficas, indicando as suas sete melhores experiências vinícolas.

quinta do noval
A Quinta do Noval ocupa a 49.ª posição na lista The World's 50 Best Vineyards. créditos: Quinta do Noval

Na apresentação que faz destes prémios, a academia sublinha que, “não há uma lista predefinida de requisitos. É considerada a experiência completa, incluindo a arquitetura, o restaurante, os passeios, o ambiente, a equipa, a paisagem, o preço, a reputação e a acessibilidade”. Isto numa perspetiva de experiência para os visitantes.

Ainda na apresentação a estes prémios, lemos que “existem alguns nomes famosos na lista. Algumas das mais amadas regiões vinícolas do mundo estão representadas. Mas também há muitas surpresas. Há produtores e lugares que só a indústria do vinho conhece ... até agora”.

Quinta do Crasto
Quinta do Crasto, Cave das Barricas. créditos: Quinta do Crasto

Acrescenta a academia destes “The World's 50 Best Vineyards”: “A diversidade é incrível. Há maravilhas arquitetónicas contemporâneas; há pequenas vinícolas boutique. Existem adegas antigas, restaurantes modernos e locais de casamento deslumbrantes”, sublinhando que se há produtores que proporcionam experiências radicais, como bicicleta de montanha, outros, disponibilizam, por exemplo, uma loja de joias, piscinas infinitas, ou passeios a cavalo.

O “The World's 50 Best Vineyards” nasceu da iniciativa dos promotores de outro galardão internacional, o “The World's 50 Best Restaurants”.

As dez melhores adegas do mundo (lista completa aqui)

  1. Zuccardi, Valle de Uco, Argentina;
  2. Bodega Garzón, Uruguai;
  3. Domäne Wachau, Áustria;
  4. Montes, Chile;
  5. Robert Mpndavi Winery, Estados Unidos;
  6. Marqués de Riscal, Espanha;
  7. Château Smith Haut Lafitte, França;
  8. Quinta do Crasto, Portugal;
  9. Antinori Nel Chianti Classico, Itália;
  10. Vik Winery, Chile.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.