A Praça é o projeto vencedor do concurso lançado pela startup Lisboa para a exploração da área de comércio e serviços do Hub Criativo do Beato. Um mercado alimentar, dedicado aos produtos portugueses e aos seus produtores, que vai nascer no próximo ano depois de já este 2020 termos assistido ao lançamento da Praça Digital, plataforma que faz entregas de produtos alimentares nos concelhos de Lisboa, Cascais, Sintra e Setúbal.

Em 2021, dois edifícios do Hub Criativo do Beato (uma antiga fábrica de carnes e uma estrutura alocada a serviços administrativos e oficina), vão dar lugar ao “mercado que vai combinar a restauração sustentável e saudável com a venda do produto, não há fronteira entre o que se come e o que se compra, o produto será o protagonista”, refere a entidade promotora daquele espaço

De acordo com a mesma fonte, “o conceito nasceu com o propósito de reforçar a identidade do que é nacional e levar os portugueses a consumir o que é português”.

Para isso, “foi feita uma seleção cuidada e rigorosa de produtos frescos, biológicos e artesanais”. Os produtos para além de estarem disponíveis para compra, serão também utilizados nos vários espaços de restauração que o mercado vai integrar.

Hub Criativo do Beato
créditos: Hub Criativo do Beato

Dos vários serviços que vão integrar A Praça destacam-se um refeitório (uma reconstituição do antigo refeitório da Manutenção Militar com uma cozinha aberta dedicada ao produtor), um talh0 de carnes autóctones portuguesas, uma peixaria com grelha, um espaço dedicado ao azeite, uma padaria e pastelaria de produção loca, uma queijaria e charcutaria artesanal e, ainda, uma mercearia a granel, com oferta biológica. Não faltarão hortas urbanas que vão servir as diferentes cozinhas bem como os próprios clientes.

A Praça contará, ainda, com um Fórum, ponto de encontro entre produtores nacionais e o público, uma escola dedicada à aprendizagem e partilha de temas relacionados com a alimentação, sustentabilidade, cozinha portuguesa e ainda um espaço dedicado a startups portuguesas ligadas ao setor da gastronomia.

O projeto nasce sob os auspícios de três compromissos: sustentabilidade, inovação e social. “A Praça compromete-se a promover e apoiar apenas os produtores que pratiquem uma produção artesanal, sustentável e biológica, revelando assim o respeito pelos diferentes ciclos das estações e pela promoção de práticas de economia circular e minimização do desperdício”, informam os promotores.

No campo social, “existirá uma integração com a comunidade do Beato em conjunto com outras entidades públicas e o lançamento de uma Bolsa de Refeições Social para possibilitar o acesso a refeições por parte de famílias carenciadas da região”.

Recorde-se que a Startup Lisboa é a entidade responsável pelo projeto Hub Criativo do Beato. Já Cláudia Almeida e Silva é a fundadora do conceito A Praça.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.