Conta-nos a História que no Século XVI no Convento de Jesus de Aveiro, as claras dos ovos eram utilizadas pelas freiras em tarefas domésticas, como engomar a roupa. Com tanta sobra de gema, começaram a ser aproveitadas para o fabrico da doçaria conventual, não faltando uma dose generosa de açúcar e água. Era, assim, produzida a massa de ovos aconchegada em hóstias. Nasciam os antepassados dos ovos moles.

Atualmente, uma visita à cidade de Aveiro não prescinde da prova desta especialidade da doçaria local, onde não faltam, também, o pão de ló, as mós, as castanhas de ovos e as raivas.

Para que a saudade não moa quem não visita Aveiro para degustar in loco o famoso creme de ovo envolto em hóstia, a Oficina do Doce expede o produto para todo o país. E fá-lo com a garantia de que termos nas nossas mãos a caixa com os ovos moles no prazo de 24 horas, no caso de Portugal continental. Isto com preços a partir dos 3,90 euros para a caixa de 150 g (seis a sete unidades).

Quem, por seu turno, visitar Aveiro pode participar no workshop na Oficina do Doce, onde conhece a história da criação dos ovos moles e participar na produção dos mesmos, tal como fez o SAPO Lifestyle como aqui reportou.

A Oficina do Doce localiza-se na Rua João Mendonça nº23 Letra JKL, no centro histórico de Aveiro.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.