Bárbara Monteiro ouviu durante toda a sua vida, por vezes a contragosto, que era a “mainova”. Agora, é ela o rosto de um projeto que começou em 2010 quando os seus pais adquiriram a propriedade da Herdade da Fonte Santa, no Vimieiro, Alto Alentejo.

Num terreno onde existia apenas um pequeno olival com cerca de 50 anos, plantaram-se 90 hectares de oliveiras (Cordovil, Picual, Cobrançosa, Arbequina e Frantoio) e 20 hectares de vinha. As castas foram escolhidas a dedo pelo patriarca da família com a ajuda do viticultor inglês David Booth e incluem apostas na zona, mas também menos prováveis, como é o caso da Baga e do Encruzado.

Bárbara Monteiro a irmã “mainova” cresceu e fez-se o rosto dos novos vinhos e azeites alentejanos
créditos: Mainova

“Poder abraçar este projeto foi um grande desafio, mas também uma oportunidade de dar seguimento a um sonho de família. Sou apaixonada por esta região e pelos seus produtos locais e por isso mudei a minha vida e saí da grande Lisboa sem pensar duas vezes”, afirma Bárbara Monteiro, ressalvando o “privilégio” de poder transmitir os valores da sua família em todos os vinhos e azeites, desde o produto à embalagem.

Disponíveis para venda na loja online do site oficial da Mainova, as primeiras referências da marca incluem seis variedades de vinho (tinto, branco e rosé) com três diferentes assinaturas - Mainova, Moinante e Milmat – e dois tipos de azeite extra virgem - Clássico e Early Harvest.

Vinhos e azeites resultam de uma abordagem sustentável, com regimes de produção biológica e integrada, o que, no caso dos vinhos, resulta em propostas com pouca intervenção, baixos sulfurosos e maioritariamente vegan.

Bárbara Monteiro a irmã “mainova” cresceu e fez-se o rosto dos novos vinhos e azeites alentejanos
créditos: Mainova

Responsável pela elaboração dos vinhos, o enólogo António Maçanita, que desde 2008 não aceitava qualquer consultoria, explica que “este é um Alentejo muito equilibrado, é um local bastante especial com vinha em formações de granito e xisto, o que resulta num vinho refletivo com uma abordagem muito pouco interventiva e respeito pela fruta”.

“É um produtor novo e isso reflete-se numa grande liberdade de pensar, como podemos perceber pela escolha de algumas castas atípicas que garantem ao vinho boa acidez, estrutura e equilíbrio”, explica o responsável pela Fita Preta e Azores Wine Company.

Entre as seis referências de vinhos, destaque para o Mainova, o cartão de apresentação da marca, em versões branco 2019 (8,95 euros) e tinto 2018 (9,95 euros), o rosé 100% Castelão de 2019 (13,95 euros), os Milmat, os vinhos reserva que, no caso do tinto 2017, orça os 24,95 euros a garrafa.

À venda na loja online estão também os azeites virgem-extra Mainova, extraídos a frio.

Mainova

Monte Herdade da Fonte Santa, EN 372-1, Vimieiro, Arraiolos

Contacto: tel. 910 732 526; e-mail: geral@mainova.pt

A marca procura reduzir a pegada ambiental não só através de métodos de produção sustentáveis como também no embalamento: o lacre substitui as cápsulas; as garrafas são maioritariamente de vidro reciclado e recicláveis; os rótulos de papel reciclado ou com maior percentagem de algodão e as caixas de papel reciclado e recicláveis, sem qualquer utilização de plástico nas tintas.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.