Segundo as previsões do "Global Breast Implants Market to 2025 - Analysis and Forecasts by Product (Silicone and Saline) and Application (Reconstructive Surgery and Cosmetic Surgery)", um relatório internacional disponível no site ResearchAndMarkets.com, nos próximos sete anos o mercado global de implantes mamários vai crescer 4,3% ao ano. No final de 2017, era responsável por uma faturação de 1,4 mil milhões de dólares.

Em 2025, a confirmarem-se as previsões do documento, o setor deverá movimentar 1,9 mil milhões de dólares, cerca de 1,63 mil milhões de euros. De acordo com os analistas, o crescimento estimado deve-se ao aumento da prevalência do cancro da mama. Só em 2018 nos EUA, segundo o site Breastcancer.org, deverão ser diagnosticados 266.120 novos casos de cancro da mama invasivos e 63.960 não invasivos.

Nos casos mais graves, milhares de mulheres poderão ter de remover um dos seios ou até todo o peito. "As cirurgias de implantes mamários são feitas com fins reconstrutivos, para restaurar o volume da mama após um processo de perda de peso ou uma gravidez, depois de uma mastectomia motivada por cancro da mama e também com fins estéticos ou com outras razões cosméticas", refere o relatório internacional agora apresentado.

"A cirurgia reconstrutiva é uma das melhores opções para restabelecer a forma do peito depois de uma cirurgia de remoção motivada pelo cancro", justificam os autores do documento. "No entanto, os implantes mamários envolvem um elevado número de complicações", esclarecem ainda. As principais, alertam, são "contraturas capsulares e ruturas", problemas que podem levar à remoção, obrigando a um novo implante.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.