As vendas do grupo caíram 28%, apesar do aumento de 7% nas vendas pela internet em 2020 em comparação com o ano anterior, afirma a Inditex em comunicado divulgado esta quarta-feira.

A empresa é proprietária de oito marcas, incluindo Bershka, Oysho, Stradivarius e Pull&Bear.

No primeiro trimestre do ano fiscal (fevereiro-abril), o grupo registou um prejuízo líquido de 409 milhões de euros, o primeiro em 20 anos.

A Inditex, no entanto, terminou o ano com um fluxo de caixa de 7,5 mil milhões de euros, enquanto as reservas caíram 9%.

O início de 2021 foi marcado pelo fechamento de mais lojas. No dia 8 de março, 15% das lojas do grupo estavam fechadas, contra apenas 8% em dezembro de 2020, devido às novas medidas de confinamento e restrições na Alemanha, Brasil, Grécia, Portugal e Reino Unido.

A empresa acredita que todas as suas unidades estarão em funcionamento até meados de abril.

A Inditex confirmou que continuará a investir nas vendas pela internet, com um investimento previsto de 2,7 mil milhões de euros entre 2020 e 2022.

Um valor que supera os 2,5 mil milhões de euros investidos nas vendas online desde 2012.

Os grandes grupos têxteis foram muito afetados pelas restrições vinculadas à crise de saúde.

A empresa sueca H&M teve queda de 90% do lucro líquido em 2020, enquanto a japonesa Fast Retailing (Uniqlo) sofreu um retrocesso de 44% o lucro no ano fiscal 2019-2020.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.