Já estamos quase no final do black month e, mesmo assim, ainda temos tanto mar de promoções pela frente: Black Friday, Cyber Monday, Natal, Pré-saldos, Boxing Day, Saldos, Saldos dos Saldos. Mas, sabe qual a verdadeira forma de poupar? Não comprar.

Contra mim falo: no outro dia, dei por mim a querer “aproveitar” uma promoção geral em brinquedos numa grande superfície comercial. O raciocínio é o de sempre: vou aproveitar e compro já os brinquedos para oferecer no Natal. Tudo certo, faz sentido. Mas… Faz realmente sentido?

Dei por mim a pensar se era mesmo aquilo que queria oferecer no Natal. E se precisava oferecer tanto? Epifania total: fiz uma triagem das pessoas mais próximas de mim e caprichei nas ideias de presentes para cada um. Para as crianças, por exemplo, vai passar por brinquedos artesanais (que tenham utilidade e, mais tarde, fiquem bem na decor), uma ilustração portuguesa, uma ida a uma exposição, cinema, oceanário, and so on. Talvez não arranque um suspiro tão grande quando rasgado o embrulho, mas tenho a certeza que vai trazer bonitas memórias, daquelas que ficam. E não é essa a verdadeira ideia de um presente?

Nas próximas semanas, a (minha) ideia será simplificar: na wish list própria, na lista de presentes (e de presenteados). Deixo algumas dicas:

1. Não ceder ao desconto. Como disse em cima, a verdadeira poupança é não comprar. Faça uma lista fixa de coisas que precisa/quer antes de ir a lojas (online ou físicas), para não “extravasar”. Vai chegar ao final da época de descontos com bons negócios, mas sem nada que não precise. 

2. Pense e repense a compra, mesmo depois de feita. Ok, aproveitou a promoção, sente que fez um bom negócio, poupou-se a alguma “ansiedade”. Mas, calma, não tire já as etiquetas. Veja e experimente tudo novamente em casa e deixe em repouso. Mantenha tudo o que quer realmente e devolva tudo o resto. Agradeça-me depois! 

3. Oferecer experiências: uma viagem, um bilhete para espectáculo, um vale para ida ao cinema, uma massagem - a lista é infinita. De amigos-secretos a presentes para pessoas mais próximas, uma experiência é sempre o que prefiro. E é realmente muito mais especial (e útil). 

4. Apostar no local, sempre que possível. Por exemplo, o Winter Market Stylista acontece já este fim-de-semana na Fiartil (Estoril) e traz uma excelente curadoria de marcas portuguesas bem feitas e giras (a minha incluída #eheh). Visite o evento, que promete ser um incrível programa de Natal, para fazer sozinha, com amigos ou família, num espaço agradável e bonito. Se não tiver oportunidade de ir, a maior parte das marcas está disponível online e pode ver tudo no Instagram da @stylista_mg. Vemo-nos lá?

5. Em caso de dúvida, não compre. Achei relevante repetir a ideia geral deste artigo no último ponto. Numa altura de uma verdadeira hiper-estimulação ao consumismo (especialmente o de impulso), é muito importante que se mantenha racional. Leia artigos sobre estilo, abstraia-se um pouco das redes sociais (e das lojas online) e tente, lá está, apostar mais em experiências, como, por exemplo, visitar o Winter Wonderland ou ver as iluminações de Natal enquanto bebe um belíssimo chocolate quente.

Alexandra Neto
créditos: Direitos Reservados

Alexandra Neto

Fundadora CAMPOS e colunista nas horas vagas. 

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.