Pele mais sensível,
reativa e seca, transpiração
excessiva, aumento da oleosidade,
manchas, perda de luminosidade,
rugas, comichão...

É longa, e não
termina aqui, a lista de sinais de
alarme que a pele emite para nos
avisar que é urgente travar os efeitos
da ação do stress. Ana Filipa Duarte,
dermatologista, ensina-nos a fazê-lo, respondendo às suas principais
dúvidas.

O stress favorece
importantes
alterações hormonais.
Na prática, quais os
seus efeitos cutâneos?

Os seus efeitos são variados. Podem traduzir-se por um aumento de produção de sebo,
pele e cabelo oleosos, dilatação
de glândulas sebáceas, calvície (em
homens e mulheres) e hirsutismos
(excesso de pelos com padrão
de distribuição masculino) em
mulheres. Valores elevados de
cortisol, a hormona do stress, são
também responsáveis por provocar
imunossupressão, favorecendo
estados infeciosos.

Pode agravar
doenças da pele?

O stress pode ser fator
desencadeante e/ou agravante da
psoríase, dermite seborreica, acne,
rosácea, alterações da pigmentação
como o vitiligo, bem como danificar
a função de barreira cutânea,
com consequente desidratação e
maior suscetibilidade para agentes
irritantes, alergénios ou agentes
infeciosos penetrarem na pele.

Existem outros
efeitos?

Também pode afetar o descanso,
interrompendo ciclos de
crescimento e reparação celular
que são mais efetivos durante o
sono reparador. Em situações de
stress, a libertação de histamina
pode originar prurido (comichão)
e inflamação. Para além disso,
o stress leva-nos relegar para
segundo plano cuidados essenciais com a pele e estimula tiques como
roer as unhas, puxar o cabelo, coçar
ou esfregar que podem originar ou
agravar dermatoses. Leva também
a excessos na dieta, álcool e tabaco,
com efeitos nocivos para a pele.

O stress envelhece
a pele?

O envelhecimento precoce e o
aparecimento de rugas podem
ser agravados pelo stress,
nomeadamente por contração
muscular recorrente e pelo dano na
microcirculação com diminuição da
oxigenação e nutrição da pele.

Em que casos se
justifica procurar
um dermatologista?

Sempre que surja uma dermatose
ou o seu agravamento acentuado
que se torne difícil de controlar pelas
medidas habitualmente utilizadas
pelo paciente. Também quando
o stress se reflete na imagem,
interferindo com o bem-estar
pessoal e social. Nesses casos, pode
ser necessário fazer análises ou
testes que ajudem a compreender
melhor o quadro clínico e a adequar
o tratamento ao caso.

Que cuidados
recomenda na escolha
de cosméticos?

O importante é conhecer a pele e
perceber que, no mesmo indivíduo,
a pele da face pode ser oleosa e a
do corpo ser seca e, mesmo na face,
o nariz pode ter excesso de sebo
e tolerar produtos agressivos
e a região do contorno dos olhos
ser sensível e intolerante. Tão
importante como os princípios ativos
são as formulações que devem ser
adequadas a cada tipo de pele (por
exemplo, creme para pele seca e gel
para pele oleosa). Deve-se também
ter em conta que um despigmentante
ou um antirrugas são peças de um
puzzle, são mais uma ajuda, mas
isoladamente fazem muito pouco.

Veja na página seguinte: Os tratamentos em consultório que ajudam a recuperar pele stressadas

Que tratamentos em consultório ajudam a recuperar pele stressadas?

Uma limpeza adequada com
hidratação são fundamentais. Nalguns casos, justificam-se
esfoliações e abrasões químicas
superficiais (peelings) para
melhoria da textura das camadas
mais superficiais da epiderme e
atenuação das hiperpigmentações.


O tratamento requer uma avaliação
dermatológica e, por vezes,
avaliações hormonais. Há que
selecionar os hidratantes e os
despigmentantes adequados, com
potência crescente e, nalguns casos,
efetuar uma sequência de peelings
intermédios.

Existem outros tratamentos?

A terapêutica com luz LED é
calmante e rejuvenescedora, com 3
comprimentos de onda, selecionados
em função do tipo de pele e problema.
No outono e inverno, é altura de
rejuvenescer a pele com recurso a
luz intensa pulsada, seja pelo uso
de lasers em modo fracionado ou
lasers vasculares para tratamento de
couperose, rosácea, telangiectasias
perinasais, angiomas ou varizes.

Quais as soluções para atuar contra as manchas e rugas?

Para tratar manchas solares
(lentigos), os lasers Q switched
são dos mais eficazes. Quando
o stress origina contração muscular
dos músculos da face, o uso
da toxina botulínica (botox)
é extremamente eficaz.
As depressões e os sulcos podem
ser eficazmente atenuados com
os fillers, dos quais se destaca
o ácido hialurónico. Um resultado
final equilibrado e natural só
se obtém com a conjugação
de técnicas.

10 passos que defendem a sua pele do stress

1. Limpe a pele de forma
suave. Use soro ou água
termal e hidrate-a com
produtos suaves.

2. Evite a água muito quente
e a imersão prolongada.
Tome banhos rápidos,
tépidos e use produtos
suaves, não abrasivos e não
deslipidantes.

3. Seque a pele suavemente,
com turcos de algodão,
de cor clara, sem friccionar.

4. Hidrate a pele nos
primeiros 5 a 10 minutos
após o banho.

5. Para o corpo, use um
emoliente suave, fácil de
espalhar e sem perfume.

6. Aplique produtos com
proteção solar nas áreas
expostas durante todo o ano.

7. Minimize o uso
de maquilhagem,
perfumes e medicações
fotossensibilizantes,
quando estiver ao sol.

8. Faça esfoliação,
depilação com cera,
luz pulsada ou lasers,
técnicas de peeling
ou lasers ablativos
preferencialmente
no outono/inverno.

9. Recorra a formulações
com antioxidantes
(como a vitamina C
ou resveratrol) e
suplementos vitamínicos,
mas integre-os numa
dieta equilibrada.


10. Identifique os
fatores de stress e tente
eliminá-los com técnicas
de relaxamento mental e/ou físico.

Texto: Madalena Alçada Batista e Nazaré Tocha com Ana Filipa Duarte (médica dermatologista)

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.