O mais comum, quando me sento na cadeira da manicure, é pensar no número de dias que vai durar desta vez. Também é essa a dúvida que mais tem? A verdade é que, há que admiti-lo com toda a frontalidade, não tenho propriamente as unhas mais saudáveis. São finas, estriadas e partem facilmente, o que se traduz numa manicure que dura, no máximo, três dias sem lascar. Três dias no máximo, há que realçar.

Imaginem, por isso, qual não foi a minha felicidade quando me falaram de um verniz que dura cerca de duas semanas e que, ainda por cima, não põe em causa a saúde das unhas. Não perdi tempo. Fui logo experimentar o verniz de gel, uma técnica de longa duração, à prova de pancadas e de água, que se aplica como um verniz mas que, na realidade, como me explicaram, funciona, na prática, como um gel.

Antes de começar

Sento-me na cadeira e disparo, de imediato, uma série de perguntas sobre esta novidade, que nos últimos anos se generalizou. Afinal de contas, gosto que o verniz dure mas não adoro o aspeto artificial que outras técnicas proporcionam. Descobri, por exemplo, que, para aderir a 100%, o verniz de gel tem de ser aplicado sobre a unha seca. Por isso, se for preciso remover peles, deve recorrer-se apenas à ajuda de um creme.

A aplicação passo a passo

30 vernizes que tornarão as suas mãos irresistíveis esta estação
30 vernizes que tornarão as suas mãos irresistíveis esta estação
Ver artigo

Existem três produtos essenciais na aplicação do verniz de gel, base, cor e top coat. Se um deles não estiver incluí­do no processo, fuja! Estão a vender-lhe gato por lebre. A mim, aplicaram-me a base, que sequei durante dois minutos num forno com radiações ultravioleta. Depois, uma camada do verniz de gel, seguida de mais dois minutos de forno, uma segunda camada, outros dois minutos e, finalmente, o top coat e os últimos dois minutos de secagem. Todos os produtos foram aplicados sem tocar na cutícula, para evitar que o verniz lasque a partir daí­.

Mais fácil de remover

Passaram duas semanas e as minhas unhas continuavam bonitas, resistindo a banhos e lavagens de loiça. Só ao décimo-quinto dia é que a primeira lascou. E apenas essa! O único senão era notar-se, perto das cutí­culas, o crescimento das unhas. Estava, por isso, estava na altura de remover o verniz. Fi-lo, em casa, com um disco impregnado em dissolvente. Esperei alguns minutos e os vestí­gios de verniz foram removidos.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.