Não existem dúvidas: lavar as mãos com água e sabão é uma das mais importantes medidas preventivas para travar a propagação de uma série de doenças, sendo este um gesto fundamental para interromper as cadeias de contágio associadas ao novo coronavírus SARS-CoV-2.

Arma eficaz contra a transmissão de outros vírus, fungos, bactérias e germes, que podem alojar-se nas pontas dos dedos, nos objetos pessoais e de uso coletivo e nas superfícies de uso público, a lavagem das mãos faz parte de uma boa rotina de higiene.

O processo de higienização das mãos deve seguir alguns passos: não basta passar as mãos por água e sabão por uns segundos, há que lavar, e bem, toda a superfície das mãos (palma e dorso), os dedos e os punhos durante, pelo menos, 20 segundos.

Na impossibilidade de se fazer a lavagem das mãos, é possível recorrer a uma solução de álcool em gel, uma forma alternativa e muito eficaz de higienizar as mãos.

Todavia, a cada lavagem e a cada desinfeção, a pele das mãos vai ficando mais seca, um cenário favorável ao aparecimento de fissuras e lesões. Daí serem necessários alguns cuidados posteriores às lavagens e às desinfeções, de forma a evitar a secura da pele das mãos. Porque a pele — incluindo a pele das mãos — é a nossa barreira de proteção contra diversos microorganismos prejudiciais à saúde, é de extrema importância mantê-la em bom estado, devidamente hidratada e nutrida.

A pele das mãos, que é tão importante quanto a pele do rosto e que por tantas vezes é negligenciada, tem necessidades específicas: o dorso das mãos, onde a pele é muito fina e contém pouco tecido adiposo na camada subcutânea, é uma zona sensível e particularmente susceptível ao envelhecimento cutâneo precoce que requer, sobretudo, hidratação e proteção contra os raios ultravioletas; já as palmas das mãos, apesar de serem um pouco mais robustas, têm uma maior dificuldade em absorver os nutrientes de que precisam, pelo que é essencial garantir uma boa hidratação.

A propósito do Dia Mundial da Higiene das Mãos — uma data implementada pela Organização Mundial da Saúde, que se comemora anualmente, a 05 de Maio —, vale a pena relembrar os cuidados de mãos de que não devemos abrir mão.

lavar mãos
créditos: Unsplash

Limpeza

O primeiro gesto para ter umas mãos cuidadas passa por manter uma boa higiene. Lavar as mãos correta e frequentemente é essencial para a remoção de bactérias, vírus e fungos. A lavagem das mãos deve ser feita com um sabonete ou um sabão líquido, preferencialmente de origem natural e com o mínimo de ingredientes abrasivos: um sabão à base de azeite, por exemplo, tanto é eficiente na lavagem das mãos como garante uma boa hidratação das mesmas. Já um gel desinfetante pode ser uma boa solução para desinfetar de imediato as mãos nos momentos em que não é possível lavá-las com água e sabão.

Hidratação

Tão importante quanto a lavagem das mãos é a hidratação das mesmas. Sem a devida hidratação, a pele das mãos pode facilmente ficar seca, pois além de ter menos glândulas sebáceas encontra-se exposta a várias lavagens ao longo do dia. Por isso é aconselhado colocar óleo de argão no dorso das mãos e nas unhas logo após cada lavagem. A hidratação das cutículas é mais eficaz com um óleo ou bálsamo do que com um creme, mas um creme de mãos é imprescindível para fazer a hidratação perdurar. Deve ser aplicado regularmente durante o dia e sobretudo à noite, antes do sono.

Esfoliação

Esfoliar regularmente a pele das mãos, uma a duas vezes por semana, não só ajuda a remover a barreira de células mortas e de impurezas como também promove a renovação celular e potencia a absorção dos ingredientes ativos presentes nos óleos e cremes hidratantes. Logo após a esfoliação, que pode ser feita com um esfoliante caseiro [ver receita de Cátia Curica], deve ser aplicado um produto hidratante, seguido de um protetor solar.

Esfoliante de Mãos - Receita de Cátia Curica, co-fundadora da organii

Misturar três colheres de sopa de azeite ou óleo de amêndoas doces da Unii, três colheres de sopa de sal e duas colheres de borras de café já utilizadas. Adicionar cinco gotas de óleo essencial de erva-príncipe da Unii. Mexer bem e está pronto a utilizar.

Basta humedecer as mãos previamente lavadas com sabão, esfregar, suavemente, a mistura esfoliante na pele e depois remover com água. O azeite ou o óleo de amêndoas doces tornam a pele mais suave e macia e o sal retira as impurezas e purifica a pele, garantindo uma melhor circulação sanguínea e oxigenação.

O óleo essencial de erva-príncipe é igualmente purificante.

Proteção Solar

Aplicar um produto com SPF no dorso das mãos — uma região muito exposta ao sol — previne o aparecimento de manchas e o envelhecimento precoce da pele. Qualquer protetor solar, quer de corpo, quer de rosto, pode ser aplicado nas mãos, preferencialmente após o creme hidratante, e deve ser reaplicado várias vezes ao longo do dia, consoante a necessidade.

Texto e cuidados: Cátia Curica, co-fundadora da organii

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.