10 dicas para educar com alegria (sem ser o mau da fita)

Tome nota dos conselhos da psicóloga Cristina Valente, autora do livro "Coaching para Pais".

1. Olhe para os erros como excelentes oportunidades de aprendizagem. Não se culpe.

2. Crie rotinas para comer, dormir, estudar. As crianças adoram que a sua vida seja previsível!

3. Respeite as necessidades de sono das crianças: as crianças que dormem bem e muito, são as mais alegres! Não se devem deitar depois das 21h.

4. Ensine-lhes que a vossa família é um sistema de suporte mútuo, significando que todos estão ao mesmo nível, ou seja, que todos merecem respeito e confiança.

5. Quando o seu filho estiver a tentar dizer-lhe alguma coisa, interrompa o que está a fazer, foque a sua atenção e oiça. Oiça e escute. Ouvir é um processo físico; escutar é uma competência cognitiva. Mais tarde, vai poder exigir a mesma cortesia da parte dele.

6. Uma boa forma de educarmos uma criança para que se torne emocionalmente forte é sermos coerentes e não vacilarmos nas regras e nas consequências a aplicar em caso de mau comportamento. Se formos firmes e coerentes, estamos a ensinar-lhe que nos preocupamos o suficientemente para esperar dela um comportamento responsável.

7. Não tenha receio de desapontar a criança. Se ela está aborrecida porque o seu irmão mais novo teve um castigo diferente pode, por exemplo, dizer-lhe: “Compreendo que isto possa parecer-te injusto e lamento que estejas aborrecido, mas a vida nem sempre é justa”.

8. Diga-lhe que gosta da forma como ela se está a comportar, em vez de apenas falar quando faz algo de errado. É preciso um pouco de prática para aprendermos o hábito de recompensar o bom comportamento em vez de castigarmos o que está a correr mal, mas é muito mais eficaz!

9. Os investigadores descobriram que as crianças nascem “programadas” para ajudarem os outros! Tudo o que temos de fazer é tirar vantagem dessa tendência natural. Pedir ajuda geralmente interrompe o mau comportamento.

10. As birras acontecem quando a criança não consegue o que quer e zanga-se por isso. Nestas situações, deixe-a acalmar-se da melhor forma para ela. Abrace-a e embale-a até que se acalme. Se esta estratégia ainda a fizer ficar mais zangada, dê-lhe espaço para que se acalme sozinha.

artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários