Um nascimento prematuro pode prejudicar os sentidos da criança e alterar as suas reacções sensíveis, sugere um estudo publicado na revista científica “Pain”.
Segundo notícia divulgada pela BBC, investigadores do Colégio Universitário de Londres analisaram cerca de 40 adolescentes de 11 anos que nasceram 14 semanas antes da data prevista e descobriram que a sua capacidade para sentir variações de temperatura estava debilitada.
Os investigadores testaram a reacção dos jovens a diferentes sensações - provocadas por variações de temperatura e toque - com o auxílio de um teste sensorial quantitativo.
Ao comparar a reacção dos adolescentes que nasceram prematuros com as respostas de um grupo de jovens que tiveram nascimento na data prevista, os pesquisadores observaram que os prematuros eram menos sensíveis a variações de temperatura – frio, quente, morno – mas tinham a mesma habilidade em reagir ao toque, divulga a BBC.
De acordo com os autores do estudo, o sistema nervoso é particularmente vulnerável a mudanças nos estágios iniciais do desenvolvimento.
Por exemplo, os bebés prematuros são expostos a vários procedimentos dolorosos - como exames de sangue - que poderão ser responsáveis pelas mudanças nas reacções das crianças à percepções sensoriais.
«Os mecanismos de dor no nosso corpo são plásticos, isto é, ferimentos e actividade nervosa são capazes de alterar esses mecanismos, principalmente nos primeiros dias de vida, quando o sistema nervoso ainda está se desenvolvendo», disse Suellen Walker, uma das autoras do estudo, à BBC.
Os pesquisadores sugerem, então, que embora esses danos à sensibilidade não afectem o dia-a-dia das pessoas que nascem prematuramente, poderão no entanto alterar a forma como percepcionam a dor.
A porta-voz da organização Bliss, que trabalha com bebés com necessidades especiais, afirmou que a pesquisa é «bem-vinda porque ajuda na compreensão das consequências de curto e longo prazo do nascimento prematuro».
30 de Dezembro de 2008
Veja ainda: Especialista portuguesa desenvolve vacina contra infecções no recém-nascido
Tétano neonatal mata anualmente 180 mil crianças e 30 mil mães
Partos prematuros crescem 45% em seis anos
Diabetes gestacional afecta uma em cada 20 grávidas
Cesariana aumenta risco de asma em crianças

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.