O estudo “Mobilidade das Famílias Portuguesas”, realizado pela APEME, encomendado pela Sonae Distribuição no âmbito do projecto “Um Modelo de Parque”, revela que as cidades não têm condições que permitam e fomentem a prática de exercício físico e actividades ao ar livre em família, fazendo com que os portugueses passem menos tempo com a família.
Este estudo foi entregue pela Associação Portuguesa de Famílias Numerosas à Associação Nacional de Municípios no próximo dia 24 de Julho, com vista à sensibilização das autarquias para a criação de espaços que permitam a mobilidade em família.
Para Fernando Castro, Presidente da Associação Portuguesa de Famílias Numerosas, “Uma família precisa de condições para se fortalecer, momentos de encontro, descontracção, alegria e cumplicidade. Um parque pode alterar muito os hábitos quotidianos das pessoas: pode fazê-las sair de casa, andar e fazer exercício, e criar a oportunidade de os pais passarem mais tempo com os filhos, potenciar momentos de encontro entre famílias da mesma comunidade e combater a solidão. Este estudo é a prova viva da necessidade gritante que Portugal tem de espaços que fomentem a prática, intergeracional e em família, de actividades ao ar livre.”
Principais Conclusões
O estudo, realizado a 1203 casais, residentes em Portugal e ilhas, com idades entre os 25 e os 45 anos, com filhos, pretendeu perceber se os portugueses praticam exercício em família, em que locais o fazem e entender a razão pela qual as famílias não praticarem exercício físico em família ao ar livre.
• A maioria dos casais inquiridos (94%) considera que gostaria de passar mais tempo com a família, sendo que 83% afirma que se tivesse um espaço ao ar livre por perto teria a certeza que tenderia a praticar mais actividades ao ar livre com a família, passando mais tempo com esta (72%).
• 69% afirma que a sua cidade/zona não está dotada de equipamentos desportivos ao ar livre, como parques e jardins, que permitam a prática de exercício físico e actividades ao ar livre em família, atribuindo a responsabilidade à autarquias (90%).
• A grande maioria dos entrevistados (90%) diz que para mudar mentalidades e levar as pessoas a praticar exercício ao ar livre em família, passando mais tempo com esta, é necessário, em primeiro lugar, que se criem condições para tal.
• 85% dos casais entrevistados consideram os parques infantis como as estruturas mais importantes nos espaços ao ar livre e, em seguida, (84%) os circuitos de manutenção para séniores.
• 49% dos inquiridos afirma que se existissem parques com equipamentos desportivos e de lazer para adultos e crianças, toda a família conseguiria tirar partido do espaço.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.