Um pouco por todo o país assinala-se entre hoje e sexta-feira a “Semana da leitura 2015”, um evento que foi aproveitado pelo escritor transmontano para apresentar a sua mais recente obra “Contos de boas contas”.

“São histórias que correram de geração em geração, viajaram de terra em terra, na voz de romeiros, jograis, corsários, meirinhos, amoladores e almocreves, até chegarem nos dias de hoje, aos narradores da memória que mas confiaram”, afirmou hoje à agência Lusa Alexandre Parafita.

O autor explicou que foi resgatar estes contos aos concelhos de Sabrosa, Vila Real, Vila Flor, Vinhais e Vimioso.

“São agora narrados numa linguagem que procura ser cómica, ritmada e brincalhona, mantendo uma preocupação didática que não se apagou no tempo”, afirmou.

O escritor considerou que se trata de “ensinamentos ancestrais que vão desde as virtudes e perversidades dos humanos projetadas nas histórias de animais, até aos jogos aritméticos divertidos que os povos antigos exercitavam sabiamente”.

“Mas passam também pela figura do demónio que, nos contos e lendas tradicionais, se assume como entidade reguladora da justiça sempre que falham e nos traem aqueles em quem depositamos esperança e confiança”, acrescentou.

A obra é lançada pelas edições “Livro Directo” e conta com a participação de sete ilustradores, designadamente Abigaíl Ascenso, Álvaro Pecegueiro, Carla Anjos, Fedra Santos, José Pedro Costa, Raquel Pinheiro e Sandra Serra.

Alexandre Parafita é natural de Sabrosa, distrito de Vila Real, e é investigador da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD).

Possui várias dezenas de obras publicadas, sendo que grande parte dos seus livros para a infância faz parte do Plano Nacional de Leitura (PNL).

Em Vila Real, a “Semana da leitura” vai ser ainda assinalada pelo Agrupamento de Escolas Morgado Mateus.

As “Palavras do mundo”, tema escolhido para a edição deste ano, vão andar de autocarro, vão estar espalhadas pelas paragens dos transportes públicos e ser servidas com o café.

Assim, quem esperar pelo autocarro da Corgobus poderá ler Miguel Torga, Irene Lisboa ou Sophia Andresen, ou quem entrar a bordo poderá ser surpreendido pela declamação de um poema. E quem pedir um café poderá ser surpreendido por um texto que vem a acompanhar.

Fonte daquele estabelecimento de ensino referiu que a iniciativa integra o projeto “A LER +” que é desenvolvido no agrupamento desde 2010, “orientado por uma estratégia de inovar a leitura, para atrair os alunos”.

O projeto é orientado pelas bibliotecas do agrupamento, que desenvolvem um trabalho de motivação ao longo de todo o ano, culminando nesta semana.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.