Segundo disse à agência Lusa o presidente da Frauga, Jorge Lourenço, os livros estão incluídos na coleção "L Tenedor, L lhibrico da las cuontas II e L lhibrico de ls ditos dezideiros" ("O andarilho dos bebés, o livrinho das contas II e o livrinho dos adágios”, no idioma mirandês).

"A publicação destes dois exemplares inserem-se na estratégia que a Frauga, através do Centro de Recursos e investigação Multidisciplinar do Museu Terra-Mater, vem desenvolvendo desde a sua criação em 1996 para promoção e divulgação da língua e cultura mirandesa, em parceria com diversas entidades", explicou.

Estes dois “manuais escolares”, de uma coleção de seis, resultaram de uma recolha sobre a literatura oral mirandesa, realizado pelo autor Duarte Martins, professor de Mirandês no AEMD, em colaboração com ilustradores e ‘designers’.

As publicações em apreço contaram como o apoio do AEMD e da EDP, através do Programa Tradições Locais e Regionais 2015.

O ensino do mirandês nas escolas do concelho de Miranda do Douro, é ministrado como opção desde o ano letivo 1986/1987, por autorização do Ministério da Educação.

Mais de metades dos cerca de 800 alunos que frequentam o AEMD, desde o pré-escolar até ao 12 ano, escolheram língua mirandesa como disciplina de opção.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.