A enxaqueca, erradamente mais associada a mulheres, é uma doença crónica que afeta cerca de 15% da população portuguesa. Sendo tendencialmente mais comum entre elementos do sexo feminino, a incidência da enxaqueca pode estar associada a mudanças hormonais, podendo a dor de cabeça que ela gera ser desencadeada, por exemplo, com a menstruação. Por outro lado, está também provado que as alterações hormonais decorrentes da gravidez têm um efeito contrário, podendo aliviar as crises de enxaqueca. Isto acontece devido ao facto de a placenta produzir uma quantidade 500 vezes superior da enzima diaminoxidase (DAO).

Esta enzima está encarregue de metabolizar a histamina, molécula presente em quase todos os alimentos, que tem um papel preponderante no desencadear das enxaquecas. De acordo com vários investigadores internacionais, cerca de 10% das mulheres grávidas tendem a sofrer de dores de cabeça durante o período de gestação. Durante essa fase, o stresse e o cansaço tendem a agravá-las. Como o recurso a muitos medicamentos está condicionado, o recurso à homeopatia e a aplicação de uma compressa húmida com três gotas de óleo essencial de lavanda ajuda a aliviar o problema.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.