O trabalho de parto e o parto são momentos de grande ansiedade, tanto para a mãe como para o pai, e muitas vezes, esta mesma ansiedade, leva a uma má interpretação dos sinais de um trabalho de parto verdadeiro.

Este momento do culminar da gravidez está normalmente envolto num manto de espectativas, quer de felicidade, pela chegada do bebé, quer de receio da dor que a mãe espera. Contudo, o trabalho de parto deve ser sentido como um momento positivo e não com um sentimento de medo incutido por experiências que foram partilhadas ao longo do tempo.

Não obstante, o trabalho de parto é um momento desafiante para a mãe e exige preparação por parte da família, pelo que perceber os sinais que o corpo da mulher transmite, no momento certo, é muito importante para um acompanhamento cuidado de todo o processo de nascimento do bebé.

Mas como saber se chegou o momento certo?
No período Pré-parto, é normal a mulher ter alguma contratilidade regular e dolorosa, que pode ocorrer dias ou semanas antes do parto. É importante a mulher não ficar assustada nem confundir trabalho de parto com estas contrações não regulares, que na maioria das vezes passam com o repouso. Neste período também pode ocorrer algum corrimento vaginal anormal, de um líquido vermelho/acastanhado e mucoso, chamado “rolhão mucoso”. Este muco não é sinal de trabalho de parto, mas é um sinal de que o momento está para breve.

Quando o Trabalho de Parto está para começar, as contrações passam a ser regulares, implicando algum desconforto para a mãe. A rigidez da barriga é a forma de identificar a contração e, em trabalho de parto efetivo, a barriga dura/contração, assume um padrão regular, cada vez mais presente, com maior intensidade e com um intervalo cada vez mais curto. Quando as contrações começam a assumir um padrão de 10 em 10 minutos, durante 2 horas, de 5 em 5 minutos, durante uma hora, ou uma progressão regular no tempo, então está na altura de se deslocarem para a maternidade.

Sinais de alerta
Outros sinais que podem levar as grávidas à maternidade são a perda de sangue, a suspeita de perda de líquido amniótico, os vómitos constantes, sentir-se inchada ou com dores de cabeça ou a sensação de não sentir o bebé. Estes sinais devem ser objeto de atenção e vigilância médica urgente.

Sílvia Martins, Administradora da Bebé Vida, refere “as futuras mamãs devem estar informadas e preparadas para este momento marcante na vida familiar. O parto deve ser encarado como um momento exigente, mas também positivo e de alegria. Este é também um momento cheio de vida e a oportunidade dos pais guardarem o sangue e o tecido do cordão umbilical do seu bebé, que poderá ser utilizado no futuro, em caso de necessidade.”

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.