Esta segunda-feira, 25 de outubro, Rita Guerra abriu o coração numa conversa mais pessoal que teve com Manuel Luís Goucha. Um dos assuntos abordados foi a violência doméstica da qual a cantora foi vítima num dos seus casamentos, tendo na altura apenas 16 anos de idade.

"Saio [da relação] com medo porque havia ameaças. Cheguei a ser ameaçada com 'um dia destes sais do casino e levas com ácido na cara'. Não se anda propriamente muito feliz na rua. Ia trabalhar com medo", confessa.

Ainda assim, Rita decidiu enfrentar a situação e seguir com a sua vida em frente: "Tudo isso se ultrapassa. Vivermos reféns do medo não ajuda em nada".

Por causa do que passou, atualmente a artista tem zero tolerância para a violência, quer para si mesma, quer para os que lhe são próximos. "Não fazendo de mim um caso nacional, há coisas que com a minha experiência passei a tolerar mais e outras que não tolero de todo. Às vezes corro o risco de ser demasiado brusca na análise, mas sigo os meus instintos. Se eu errar, serei a primeira a pedir desculpa", completa.

Leia Também: Lavada em lágrimas, Rita Guerra lembra pai: "Era um ser maior"

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.