A Casa Real está mais preocupada que nunca com a segurança do príncipe George, por isso, aumentou o dispositivo montado à volta do seu colégio e dos locais para onde se desloca, reporta o site de entretenimento TMZ.

A publicação noticia que a segurança no colégio que frequenta, St. Thomas's Battersea, foi “reforçada” e que mais agentes começaram a acompanhar o menino, assim como a sua avó, Carole Middleton – mãe de Kate Middleton, que leva o neto todos os dias ao estabelecimento de ensino

As medidas terão sido tomadas após uma ameaça feita por um simpatizante do autoproclamado Estado Islâmico, dirigida ao filho mais velho de William e Kate.

Sabe-se que há duas semanas, Husnain Rashid, um professor de 32 anos que leciona numa mesquita a noroeste de Inglaterra, foi presente a tribunal, após ser acusado de incentivar ataques dirigidos a George, de quatro anos. O caso aconteceu em outubro de 2017, altura em que Rashid publicou uma fotografia do menino na Internet. Na época chegou a sugerir a possibilidade de se “injetar veneno em gelados de supermercados e enviá-los à escola do príncipe George”. O mesmo referiu também que “nem a família real deverá ser deixada ao acaso”.

O arguido, que se encontra em prisão preventiva, acabou por confessar três crimes de terrorismo e receberá a sentença no dia 28 de junho.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.