Depois da editora Loma Vista Recordings desfazer o contrato com Marilyn Manson, foi o empresário do músico, Tony Ciulla, quem quis cortar relações. A notícia foi avançada esta sexta-feira pela revista Rolling Stone e surge na sequência das acusações de abuso e assédio sexual de que Manson foi alvo recentemente.

Tony Ciulla trabalhava com Marilyn Manson há 25 anos e chegou a defender o músico publicamente de várias polémicas. Contudo, o laço profissional não resistiu ao último escândalo.

No início do presente mês, a atriz Evan Rachel Wood emitiu um comunicado no qual afirmou que foi alvo de abusos por Marilyn Manson durante o namoro de ambos, que durou três anos e terminou em 2010.

"Ele começou a assediar-me quando era adolescente e abusou-me durante anos de forma horrível. Passei por uma lavagem cerebral e fui manipulada até à submissão", disse na nota.

Dadas as acusações, o músico defendeu-se afirmando que se tratam "horríveis distorções da realidade". A sua ex-mulher, Dita Von Teese, também contrariou as acusações e frisou que "os detalhes tornados públicos não correspondem à sua experiência pessoal".

Leia Também: Ex-mulher de Marilyn Manson diz nunca ter sido vítima de abusos sexuais

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.